Santa Casa de Santos ainda aguarda empréstimo para quitar débitos

Dívida do maior hospital em números de atendimentos da Baixada Santista chega a R$ 150 milhões

Comentar
Compartilhar
18 ABR 201500h57

A Santa Casa de Santos ainda aguarda a aprovação da Caixa Econômica Federal para obter um empréstimo de R$ 150 milhões a fim de quitar seus débitos com médicos e fornecedores.

O maior hospital da Baixada Santista em números de atendimentos apresentou à instituição financeira um projeto de realinhamento administrativo e espera até maio a liberação da linha de crédito a ser dada, em conjunto, com o BNDES.

A diretora financeira da Santa Casa, Mirian Cajazeira Diniz, destaca o fato de a instituição estar contando com a boa vontade do corpo clínico e também dos fornecedores do hospital para não interromper os atendimentos. “Estamos com dívidas sim, mas eles sabem que em toda a história, a Santa Casa nunca deixou de pagar ninguém”.

A Santa Casa teve mais uma reunião com representantes da Caixa para discutir as próximas fases do empréstimo, que deverão ser concedidos a juros bem abaixo dos praticados pelo mercado. O hospital quer financiamento de 120 meses (dez anos).

Uma reforma de gestão está sendo apresentada pela instituição para obter o financiamento (Foto: Matheus Tagé/DL)

A mudança administrativa na Santa Casa, inserida no projeto apresentado para obter o recurso das instituições, implica em revisão dos contratos e implantação de uma nova forma de gestão. E, segundo a diretora, uma nova forma de relacionamento com os fornecedores e médicos.

Emendas

Quase todos os deputados eleitos pela Baixada Santista, tanto estaduais quanto federais, têm destinado emendas para a Santa Casa. Um dos mais recentes encaminhamentos de verba, de R$ 700 mil, foi feito por Bruno Covas (PSDB).