SEDUC

Sambódromo do Rio já tem filas para compra de ingressos do Desfile das Campeãs

Segundo a Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro (Liesa), 7 mil dos 40 mil ingressos ainda estão à venda, com valores que vão de R$ 5 a R$ 300

Comentar
Compartilhar
19 FEV 201513h31

Desde o fim da apuração que definiu a classificação das escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, a expectativa agora é pelo Desfile das Campeãs, sábado (21), com as seis agremiações mais bem colocadas do carnaval: Beija-Flor de Nilópolis, Acadêmicos do Salgueiro, Grande Rio, Unidos da Tijuca, Portela e Imperatriz Leopoldinense.

Segundo a Liga Independente das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro (Liesa), 7 mil dos 40 mil ingressos ainda estão à venda, com valores que vão de R$ 5 a R$ 300. O coordenador-geral de vendas da Liesa, Heron Schneider, explica que o público que for à Sapucaí verá as escolas mais descontraídas, sem a pressão da avaliação dos jurados. "É um evento presenciado essencialmente só por cariocas, porque quem é de fora da cidade já teve que voltar para casa e para o trabalho", destacou.

Os ingressos para assistir ao espetáculo na Marquês de Sapucaí só podem ser comprados no Sambódromo do Rio, no estande da Liesa, no Setor 11. O horário de atendimento é das 10h às 16h até amanhã e já há fila no local.

Para Schneider, as pessoas que forem ao sambódromo poderão rever os destaques de cada escola de samba. "Vai ter gente que vai para lá só para poder ver de perto o que a Portela fez com a águia neste ano".

A campeã Beija-Flor de Nilópolis, com o enredo sobre a Guiné Equatorial, país da África Ocidental, exaltou a sua formação cultural e étnica (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O desfile começa às 21h30, com a Imperatriz Leopoldinense, sexta colocada. A escola trará de volta à Sapucaí seu enredo sobre igualdade racial e as conquistas dos negros. Um dos destaques do desfile foi uma escultura de Nelson Mandela no último carro, que "contava sua experiência de vida aos brasileiros", destacou o presidenta da Liesa.

A Portela desfila em seguida, com o samba sobre os 450 anos do Rio de Janeiro. Unidos da Tijuca, quarta colocada no carnaval, abordou a Suíça em um desfile que levou neve para a avenida e terminou com uma chuva de chocolates jogados para o público. O desfile lembrou Clóvis Bornay, um notório folião do carnaval carioca que tinha ascedência suíça e ficou famoso por suas luxuosas fantasias e pela atuação como carnavalesco.

A Grande Rio, terceira escola a desfilar, abordou o tema dos vários tipos de baralho em seu desfile, desde os jogos até o tarô. A vice-campeã, Acadêmicos do Salgueiro, será a penúltima a desfilar. A escola tijucana levou a culinária mineira para o sambódromo, em um desfile com carros grandiosos e a distribuição de doce de leite ao público.

A campeã Beija-Flor de Nilópolis, com o enredo sobre a Guiné Equatorial, país da África Ocidental, exaltou a sua formação cultural e étnica. A escola perdeu apenas 0,1 na pontuação total e fez um desfile considerado impecável pelo carnavalesco Fran Sérgio.