X

Cotidiano

Roubos e latrocínios têm queda no mês de agosto na Baixada e Vale

Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP)

Da Reportagem

Publicado em 26/09/2018 às 09:25

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Os assaltos caíram 15,47%, enquanto os latrocínios, 50% / Arquivo/DL

Os casos de roubos em geral e de latrocínios (roubos seguidos de morte) tiveram queda, respectivamente, de 15,47% e 50% na Baixada Santista e Vale do Ribeira no mês de agosto na comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Em agosto deste ano foram 1.295 casos de assaltos em geral nas duas regiões, enquanto no mesmo mês de 2017 foram 1.532. Foi registrado um latrocínio, enquanto no mesmo mês do ano passado foram dois.

Por outro lado, os casos de estupros e de homicídios tiveram alta no mês. Foram 50 casos de estupros ante 39 no mesmo período do ano passado, o que  representou um crescimento de 28,20%. Houve 14 casos de homicídio, enquanto em agosto de 2017 foram 11, o que representou um aumento de 27,27%.

Acumulado

No acumulado de janeiro a agosto deste ano, os roubos apresentaram queda de 20,10% na comparação com 2017: foram 10.980 ante 13.630. Já os latrocínios tiveram queda de 36,84%, com 12 registros ante 19.

Os estupros tiveram alta de 172,96%, com 434 ocorrências, enquanto no mesmo período de 2017 foram 159. Os homicídios, no acumulado, caíram 0,92%, com 108 casos ante 109.

No Estado

Pela primeira vez em 2018, o Estado de São Paulo registrou aumento no número de latrocínios. Em alta em 2018, os estupros também voltaram a subir - foi o sétimo aumento em oito meses. Já os índices de homicídios, roubos e furtos registraram queda.

De acordo com a SSP, houve 23 casos de latrocínios registrados no Estado em agosto - três a mais do que no mesmo período de 2017. Proporcionalmente, o aumento é de 15%. Esse indicador, no entanto, diminuiu na capital. Enquanto que em agosto do ano passado haviam sido sete casos, agora foram cinco.

A alta de ocorrências de latrocínios aconteceu mesmo diante do quadro de queda de roubos, crimes considerados ligados entre si. Em agosto, foram registrados 20.750 assaltos no Estado, uma redução de 15,4% comparado ao mês de 2017. Na ocasião, foram 24.545 ­registros.

Mais da metade dos casos de roubos (10.505) aconteceu na cidade de São Paulo. O número, entretanto, é inferior ao de agosto de 2017, quando houve 12.316 ocorrências, ou 14,7% a menos.

Estupro

Em escalada desde o início do ano, os registros de estupro voltaram a subir. Foram 1.048 ocorrências notificadas no Estado - a maioria contra vítimas vulneráveis -, ante 934 em 2017. A alta é de 12,2%. Considerando todos os meses do ano, o índice só registrou uma queda, ocorrida em julho.

O crime também cresceu na capital. Ao todo, houve 221 registros de estupro em agosto, contra 190 no mesmo período de 2017. Ou seja, 16,35% a mais.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Segundo suspeito por mortes de cabo da PM e filha em SP é preso em Mongaguá

A ocorrência foi registrada no 1º Distrito Policial de Itanhaém. O nome do suspeito preso não foi revelado

Diário Mais

Conheça o edifício mais alto do mundo feito em uma 'impressora 3D'

O prédio levará 900 horas para ser construído

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter