Rosana Valle pede ao presidente Bolsonaro reativação do ramal ferroviário Cajati-Santos

Para Rosana, o transporte de cargas pelos trens também é vantajosa

Comentar
Compartilhar
30 MAI 2020Por Da Reportagem11h17
O ramal foi depois abandonado, sofrendo invasões em seus 198 quilômetros de extensão, o que provocou enorme prejuízo, conforme denúncia do Ministério Público FederalFoto: Divulgação

A deputada federal Rosana Valle (PSB) enviou ofício ao presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, e ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas,  cobrando uma ação decisiva para a retomada do antigo ramal ferroviário Cajati-Santos, que chegou a funcionar por meio século entre a Baixada Santista e o Vale do Ribeira. 

O ramal foi depois abandonado, sofrendo invasões em seus 198 quilômetros de extensão, o que provocou enorme prejuízo, conforme denúncia do Ministério Público Federal.

“É um escândalo o sucateamento deste ramal ferroviário. Temos que aproveitar agora, que o Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a retomar o projeto da Malha Ferroviária Paulista, para que inclua o trecho Cajati-Santos no pacote de investimentos de R$ 6 bilhões para reativar este importante setor para o escoamento da produção agrícola no País”, disse a deputada.

A empresa Rumo, que ampliará a Malha Paulista, que ligará o Porto de Santos ao Centro-Oeste do Brasil, passando por Mato Grosso e Goiás, já se manifestou anteriormente indicando a “inviabilidade” do aproveitamento do ramal Cajati-Santos. 

Mas Rosana Valle lembra que o mesmo parecer da Rumo sugere a possibilidade de  retomada do trecho com outro tipo de trens. “É possível retomar com trens de passageiros, tipo Veículo Leve sobre Trilhos, ligando o Vale à Baixada, o que ativaria o turismo, gerando empregos e renda”, disse a parlamentar.

Para Rosana, o transporte de cargas pelos trens também é vantajosa: “Um trem de cargas com 100 vagões consegue transportar o equivalente a 357 caminhões, reduzindo o trânsito nas estradas e proporcionando uma economia do País. Tanto que a Malha Ferroviária Paulista, quando concluída, representará uma redução do frete de no mínimo 10%, com vantagens para todos.  Para o Vale, o ramal Cajati-Santos também representará um incentivo à agricultura da região”, concluiu.