Rogério Santos é fotografado usando aparato da Prefeitura de Santos em campanha

Fotógrafo fez imagens de suposto uso da máquina e encaminhou ao Ministério Público Eleitoral

Comentar
Compartilhar
19 OUT 2020Por Carlos Ratton18h00
Fotógrafo afirma que Rogério Santos (de azul) chegou com todo o aparato da Prefeitura, em frente ao Mercado Municipal, na Ponta da PraiaFoto: Divulgação

Sábado, 17 de outubro de 2020. Em plena campanha eleitoral, próximo ao novo Mercado de Peixe e em frente ao futuro Centro de Atividades Turísticas (CAT), Praça Gago Coutinho, na Ponta da Praia, um carro da Prefeitura de Santos estaciona e, de seu interior, sai uma equipe de produção de filmagem. Na fachada do novo Centro de Convenções, o artista Eduardo Kobra estava finalizando o mural Coração Santista, que seria entregue no dia seguinte.

Nada de anormal pois é comum equipes de comunicação gravarem imagens de novos atrativos turísticos para propaganda institucional do governo. No entanto, junto com a equipe, segundo informações, chega o candidato a prefeito do atual Governo, Rogério Santos (PSDB), e inicia mais um dia de gravações para sua campanha eleitoral.

Próximo do local, um fotógrafo profissional saca a máquina e começa a gravar as imagens que não demoraram muito para serem enviadas via redes sociais. No sábado, só a Reportagem do Diário recebeu três mensagens com o conteúdo captado pelas lentes do profissional e passou parte do domingo atrás dele, para se certificar que não se tratava de uma montagem.

Contato estabelecido, o profissional resolveu narrar tudo que viu num áudio exclusivo, sob a garantia de sigilo sobre sua identidade. "Aconteceu ontem de manhã (sábado). Chegaram todos juntos com o senhor Rogério (Santos) em carros da Prefeitura devidamente identificados. Levaram até o motorneiro do bonde (turístico) para filmar com o Rogério. A armação está até na rede social dele como se o encontro com o motorneiro fosse coincidência", relata.

Ainda no domingo à tarde, um funcionário público também entrou em contato com a Reportagem e informou que as imagens já estavam sendo compartilhadas e comentadas por grupos de servidores, inconformados com a exposição dos colegas, principalmente do motorista que dirigiu o carro. "Ele não tem culpa. Na certa, foi convocado e teve que trabalhar", disse.

Há relatos que funcionários da Secretaria de Comunicação também faziam parte da equipe. Segundo revelou, Rogério Santos e sua equipe não perceberam que estavam sendo gravados e continuaram o trabalho eleitoral com depoimentos "favoráveis" à sua candidatura, durante boa parte da manhã. O denunciante já encaminhou tudo ao Ministério Público Eleitoral (MPE).

 

Ele acredita que o órgão fiscalizador terá condições de avaliar se houve alguma irregularidade relacionada ou uso indevido da máquina pública. Também se o candidato do prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) usa funcionários (motorneiro e motoristas) e os próprios públicos recém-inaugurados ao fundo para confundir o eleitor dando impressão que, sem sua "chancela", as realizações governamentais não ocorreriam.

Vale lembrar que, ao mesmo tempo que supostamente estaria "utilizando a máquina pública em campanha e usando obras como pano de fundo", Rogério Santos tentou, por intermédio de sua coligação Juntos Pra Santos Seguir em Frente - formada pelo REPUBLICANOS, PP, DEM, PSDB, PSL, PODE, PL e PSB – que a Justiça Eleitoral impedisse que uma enquete negativa à atual Administração fosse divulgada por uma rádio local.

Um dos argumentos usados foi que a rádio é uma concessão pública federal, Portanto, não poderia divulgar "massiva campanha visando desconstruir a imagem positiva dos candidatos da coligação, caracterizando abuso do poder econômico e dos meios de comunicação social, com objetivo de influir no resultado das eleições, veiculando o resultado da enquete como sendo de utilidade pública e prestação de serviço". O juiz eleitoral Joel Birello Mandelli julgou extinta, sem apreciação do mérito, a ação de investigação judicial eleitoral.

Candidato

Procurada, a Coligação lamenta o uso político das imagens fora de contexto, que não refletem o que alegam os que indevidamente pretendem degradar o candidato Rogério Santos, que esteve presente ao local acompanhado de equipe de sua campanha, mas chegou em veículo particular. "Em momento algum o candidato solicitou ou recebeu qualquer tipo de apoio de profissionais de comunicação, ou de qualquer outro setor, a serviço da Prefeitura que atuavam na cobertura jornalística exclusivamente para a Administração", explica.

Prefeitura

A Administração explica que uma equipe foi pautada para entrevistar Kobra e registrar a desmontagem dos andaimes e da tela que até então cobriam o mural. Chegou no local por volta das 10 horas e permaneceu por cerca de duas horas. Um funcionário da CET que trabalha na bilheteria da linha turística dos bondes, e que foi retratado no painel, também chegou ao local devidamente uniformizado para atender diversos veículos de imprensa. Nem o motorneiro nem a equipe da Secretaria de Comunicação participaram de nenhum tipo de gravação para programas eleitorais ou de campanhas de cunho político.