Rigor na fiscalização inibe acidentes com moto aquática

Guarda Costeira de Praia Grande não registra a ocorrência há mais de 10 anos

Comentar
Compartilhar
20 FEV 201321h25

A intensa fiscalização realizada pela Guarda Costeira de Praia Grande, que integra a Guarda Civil Municipal (GCM), durante a temporada de verão, tem apresentado resultados bastante positivos. Por causa do rigor do policiamento, donos de embarcações, especialmente as motos aquáticas, têm tomado as devidas precauções e poucas irregularidades tem sido registradas. A Cidade é a única do Estado – e primeira do Brasil - a assumir a fiscalização de sua área marítima.

Os reflexos positivos ficaram evidentes principalmente no Carnaval. Em cinco dias de trabalho, 163 embarcações foram fiscalizadas nas praias da Cidade, sendo que apenas uma situação irregular foi notificada à Capitania dos Portos.

O número é menor do que o registrado no mesmo feriado do ano passado, quando o grupamento vistoriou 237 embarcações, como barcos e motos aquáticas. O decréscimo, segundo o inspetor da Guarda Costeira, Delfo Monsalvo, se deve justamente ao rigor na fiscalização. “Percebemos que condutores que estejam com alguma irregularidade escolhem cada vez menos as águas de Praia Grande para seu lazer. Isso para nós é muito positivo”.

O dia de maior fluxo durante o Carnaval foi segunda-feira, com 51 embarcações fiscalizadas. A única notificação feita à Capitania dos Portos, no período, aconteceu no domingo, no bairro Real, quando um condutor foi flagrado com uma moto aquática em local proibido, executando manobras em área destinada a banhistas. Já em 2012, foram três notificações, sendo duas por navegar em local proibido e uma por entregar a condução da embarcação à pessoa não habilitada.

163 embarcações foram fiscalizadas (Foto: Divulgação)

Para oferecer mais segurança aos banhistas e também aos condutores dos veículos foi preciso reforçar o efetivo de guardas durante o Carnaval, assim como foi feito no Revéillon. “Disponibilizamos seis guardas do grupamento todos os dias e estendemos os trabalhos até as 20 horas, garantindo que todos os setores de atuação da Guarda Costeira fossem cobertos”.

Embora o período considerado de maior fluxo de embarcações já tenha terminado, o inspetor garante que a fiscalização continuará nos próximos finais de semana. “Praia Grande não registra acidentes com embarcações há mais de dez anos e queremos manter esse índice”.

A fiscalização das atividades com embarcações na orla começou a funcionar em 2000.