X

Cotidiano

Retratos de Guerra aborda os conflitos cotidianos femininos

A mostra, que reflete sobre as batalhas da mulher contemporânea, usa tons de camuflagem do exército para esconder a cor da pele, linhas de expressão e outras possíveis marcas corporais

Da Reportagem

Publicado em 21/09/2018 às 09:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Thamara propõe uma reflexão sobre as alarmantes estatísticas do nosso País / Thammy Cabral

Carregada de cores, a série Retratos de Guerra, da fotógrafa Thamara Lage, que tem abertura nesta sexta-feira (21), às 19h, no Museu da Imagem e do Som de Santos (Miss), busca gerar olhares mais atentos à expressão de cada modelo de angústia e dor. A mostra, que reflete sobre as batalhas da mulher contemporânea, usa tons de camuflagem do exército para esconder a cor da pele, linhas de expressão e outras possíveis marcas corporais.

Thamara propõe uma reflexão sobre as alarmantes estatísticas do nosso País, em que, a cada hora, pouco mais de 500 mulheres são vítimas de alguma violência, seja ela verbal, física ou psicológica, além de discriminação gênero, raça, etnia, desigualdade de direitos e preconceito pela sua orientação sexual.

A exposição pode ser conferida até 10 de outubro. O Miss fica no piso térreo do Centro de Cultura Patrícia Galvão, na Avenida Senador Pinheiro Machado, 48, Vila Mathias. O espaço abre de segunda a sexta-feira, das 14h às 20h. A entrada é gratuita.

A fotógrafa

Thamara Lage é formada no curso de Tecnólogo em Fotografia na Faculdade Metropolitanas Unidas (FMU), ministra workshops voltados à fotografia experimental e atua como produtora executiva do Festival Maçãs – Mulher Vista-se de Música, projeto que visa o protagonismo feminino no meio musical e artístico, além de produzir fotografia autoral/experimental voltada para o universo feminino.

Com o tempo, descobriu que fotografar mulheres é seu foco principal, seja um nu artístico ou um retrato. Se inspira nas histórias de mulheres para criação de projetos autorais.

Seu primeiro projeto autoral Amor nasceu em 2015 e retrata o suicídio de mulheres por sofrerem descriminações por serem lésbicas. No ano seguinte, criou Condenados, projeto que demonstra padrões estéticos e a invisibilidade das pessoas LGBT. Já em 2017 iniciou a série Retratos de Guerra.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Economia

Com prejuízo de R$ 500 mi, Carrefour anuncia o fechamento de 123 lojas

Entre as unidades fechadas, 16 são hipermercados da própria marca; os demais são de bandeiras Todo Dia, Nacional e Bom Preço

Polícia

Mulher é estuprada dentro de delegacia em Guarujá; agressor é preso

Funcionária da Delegacia Sede da Cidade sofreu a violência dentro de sua sala de trabalho; homem foi preso em flagrante

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter