Renda média real dos ocupados na Grande SP cai 1,8% em março, diz Seade/Dieese

De acordo com o Seade e o Dieese, essa diminuição do rendimento médio real provocou retração das massas de rendimentos

Comentar
Compartilhar
27 MAI 201512h07

O rendimento médio real dos ocupados na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) caiu 1,8% em março ante fevereiro, para R$ 1.893, mostrou Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) divulgada nesta quarta-feira, 27, pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A renda média real dos assalariados, por sua vez, caiu 1,5% no período, para R$ 1.914.

De acordo com o Seade e o Dieese, essa diminuição do rendimento médio real provocou retração das massas de rendimentos. Na passagem de fevereiro para março, a massa de rendimentos dos ocupados caiu 2%, enquanto a dos assalariados recuou 1,9%.

O rendimento médio real dos ocupados na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) caiu 1,8% em março ante fevereiro (Foto: Divulgação)

Na comparação com março de 2014, as quedas dos rendimentos médios reais dos ocupados e dos assalariados foram ainda maiores de 8,7% e 8,1%, respectivamente. Com isso, as massas de rendimentos de ambos também recuaram mais intensamente: -8,7 e -7,7%, nesta ordem. Segundo o Seade e o Dieese, nos dois casos, as quedas decorreram sobretudo de reduções dos rendimentos médios reais.