Região pode sofrer com chuva ácida

Segundo o metereologista do site Climatempo, possibilidade do fenômeno é real

Comentar
Compartilhar
05 ABR 201514h59

Devido ao grande incêndio que atinge seis tanques de gasolina e etanol, desde a última quinta-feira (2), no bairro da Alemoa, vem a questão: Há o risco de chuva ácida?

Segundo o Metereologista e especialista em poluição atmosférica, Ivan Heten, do Climatempo, a possibilidade de chuva ácida é real.

Segundo ele,  "o dióxido de enxofre, emitido pela queima de óleos e combustíveis, próximo a superfície, reage para formar o trioxido de enxofre". Essa mistura, na presença da água, forma o ácido sulfúrico.

"Se tivermos o aumento da umidade provocada por circulação local (brisa marítima) esse ácido formado será utilizado como CCN (núcleos de condensação de nuvens) e como sabemos, a chuva associada a esse tipo de processo é fraca". Ainda, de acordo com ele, essa chuva em menor intensidade é pior, pois concentra maior quantidade de ácido em uma gota.

O metereologista explica que "os ventos associados a frente fria podem dispersar o gás", o que reduz a concentração de SO2 (dióxido de enxofre) e o risco de chuva ácida.

Fonte: Site Climatempo

Leia mais em:

Incêndio atinge tanques de álcool, no bairro da Alemoa, em Santos
Combate às chamas na Alemoa pode durar até quatro dias
Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar questiona efetivo dos bombeiros
Bombeiros comparam ação nos tanques a um "dragão preso em uma gaiola"
Cesteb descarta impacto ambiental por conta do incêndio na Alemoa
Incêndio na Alemoa não tem previsão para acabar
Quarto tanque é atingido e explode em incêndio na Alemoa
Gabinete de Crise é instalado em combate ao incêndio

Surgimento de peixes mortos em Cubatão pode estar relacionado ao incêndio

Região pode sofrer com chuva ácida (Foto: Luiz Torres/DL)