Quarteto é detido com pássaros silvestres em área de proteção ambiental

Equipe da Guarda Ambiental flagrou grupo. Com eles, havia algumas gaiolas e quatro pássaros da espécie Coleirinho

Comentar
Compartilhar
04 NOV 2017Por Da Reportagem13h30
As aves foram soltas no Parque Municipal PiaçabuçuFoto: Divulgação/PMPG

Quatro rapazes foram detidos, no Bairro Antártica, acusados de capturar pássaros silvestres e prejudicar a fauna local. O local onde os acusados estavam fica próximo a uma área de preservação ambiental e, por isso, costuma ser monitorada por câmeras. Um dos operadores viu uma movimentação suspeita e passou a acompanhar a situação, constatando que os rapazes estavam com gaiolas, armadilhas e alguns pássaros já capturados.

Uma viatura foi ao local e conseguiu deter os quatro, sendo um deles maior de idade e os outros três menores. Com eles, havia algumas gaiolas e quatro pássaros da espécie Coleirinho.

De acordo com o inspetor do Grupamento Ambiental, que integra a Guarda Civil Municipal (GCM) de Praia Grande, Fábio Rogério Marques, os quatro foram levados para a Delegacia Sede, onde foram autuados por infração ao artigo 29 da Lei de Crimes Ambientais, que determina pena de detenção de seis meses a um ano e multa a quem matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida. “Foi aplicada uma multa de R$ 4 mil a cada um dos autores e o mais importante é que as aves foram soltas”.

Os pássaros foram avaliados pela Aiuká que atestou a soltura imediata dos pássaros mediante laudo veterinário. As aves foram soltas no Parque Municipal Piaçabuçu.

Proteção

O grupamento Ambiental foi criado em 2009 com o objetivo de proteger o meio ambiente e preservar a fauna e a flora locais por meio da fiscalização visando a proteção e vigilância do patrimônio ecológico, prevenindo e reprimindo ações predatórias e eventuais ocupações clandestinas. Atua em conjunto com as Secretarias de Urbanismo (Seurb) e de Meio Ambiente (Sema), apresentando resultados expressivos no combate aos diversos crimes contra o meio ambiente. Para se ter uma ideia, somente em 2016 foram registradas mais de 900 ocorrências, sendo a maioria relacionada com a ocupação irregular de áreas.