PSDB santista quer a renúncia do senador Aécio Neves

Reunião para tratar o assunto aconteceu na noite de quinta-feira (19) e contou com a presença de representantes de oito dos nove municípios da região

Comentar
Compartilhar
21 OUT 2017Por Carlos Ratton10h00
Aécio Neves reassumiu o mandato após o Senado derrubar a decisão da Primeira Turma do STFFoto: Agência Brasil

O coordenador regional do PSDB, jornalista Raul Christiano, informou, via rede social, que dirigentes do partido na Baixada Santista decidiram pelo encaminhamento de mensagem-moção ao senador Aécio Neves, solicitando que ele renuncie à presidência da Comissão Executiva Nacional do partido. A reunião aconteceu na noite de quinta-feira (19), em Santos, e contou com a presença de representantes de oito dos nove municípios da região. Só Mongaguá não compareceu.  

A carta já foi encaminhada online. Raul Christiano disse ontem que o senador já estaria com ela em mãos, pois enviou para seu e-mail pessoal, para o de sua secretária e para vários assessores diretamente ligados a Neves. “Nossa posição reflete a de todos os filiados e dos prefeitos da região. Defendemos a permanência do senador Tasso Jereissati como interino na presidência até a convenção nacional do partido que ocorrerá em dezembro”, disse o jornalista por telefone.

Raul Christiano garante que a saída de Aécio Neves é certa e que sua permanência desgasta o partido, é negativa e não agrega mais. “Ele praticamente só teria mais um mês como presidente. Vamos continuar mobilizados e acreditando que o senador vai pedir para sair”, revelou Christiano, que faz parte do Diretório Nacional do partido.

Atualmente

Aécio Neves reassumiu o mandato após o Senado ter derrubado, na última terça-feira (17), por 44 votos a 26, a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) que havia determinado seu afastamento. Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Aécio foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa.

O tucano teria pedido e recebeu R$ 2 milhões da JBS como propina. A procuradoria afirma também que Aécio atuou em conjunto com o presidente Michel Temer para impedir o andamento da Lava Jato. Desde o início das investigações, Aécio tem negado as acusações, afirmando ser “vítima de armação”.

Prefeitos tucanos

Apesar de Christiano ter garantido que os prefeitos apoiam a decisão, o Diário tentou ouvi-los. O prefeito de Bertioga, Caio Matheus, se posicionou a favor da decisão unânime dos presidentes de partido dos oito municípios presentes à reunião, por entender que, na atual conjuntura, o senador Aécio Neves não tem condições políticas de continuar na presidência nacional do PSDB.

Em Mongaguá, a palavra ficou por conta do vice-prefeito, Marcio Melo Gomes (PSDB), o Marcio Cabeça, que também concorda com a saída de Neves. “Essa discussão tem sido feita informal e formalmente dentro da regional do partido há algumas semanas. Entendemos que o PSDB precisa tomar uma posição ética e transparente e continuar lutando pelos interesses do País. Por isso, concordamos que a presidência da Comissão Executiva Nacional precisa ser renovada”.

Os prefeitos Ademário de Oliveira (Cubatão); Luiz Maurício (Peruíbe); Marco Aurélio Gomes (Itanhaém); Alberto Mourão (Praia Grande) e Paulo Alexandre Barbosa (Santos) não se manifestaram até a publicação desta matéria.

Colunas

Contraponto