PSB santista deixa decisão de sair do governo suspensa

Comissão provisória, que debateria o desembarque da gestão Paulo Alexandre Barbosa, atendeu ao apelo do deputado estadual Caio França

Comentar
Compartilhar
21 JUN 2017Por Diário do Litoral10h30
Reunião da comissão provisória do PSB durou cerca de 2 horas; grupo irá realizar um encontro com o diretório estadual do partido antes de voltar a debater a questãoFoto: Rodrigo Montaldi/DL

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) suspendeu a decisão de sair ou permanecer na base do governo Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), em Santos.

A Comissão Provisória que administra a legenda no município se reuniu, ontem, no gabinete do vereador Benedito Furtado, presidente municipal do partido, para deliberar sobre o tema. Caso fosse decidido o desembarque do governo, uma nova reunião seria feita na sexta-feira, para consolidar a saída.

No entanto, o grupo recebeu uma ligação do deputado estadual Caio França, que apelou para que não fosse tomada nenhuma decisão no momento.

“Me ligou o Caio França, conversamos longamente por telefone, e ele pediu para dar um tempo nessa discussão e fazer uma reunião. Ele se comprometeu a sentar comigo e avaliar isso. Ele disse que o diretório estadual não vai permitir filiações em massa. O Caio garantiu que não vai ter nenhuma decisão de cima para baixo, que não irão nos desprestigiar. Segundo ele, o diretório estadual está interessado em resolver isso pacificamente. Pediu para eu não esquentar a cabeça, que vamos resolver”, disse Furtado.

As filiações em massa a que o parlamentar se refere são referentes ao caso denunciado em plenário pelo próprio Furtado no último dia 12.

A eleição para eleger a nova comissão provisória será em 12 de agosto. No dia 8 de junho, Furatdo recebeu uma circular do diretório estadual dizendo que estavam aptos a votar os filiados que estavam recadastrados,que eram 463 pessoas, e também aqueles que fossem filiados até 60 dias antes da eleição, ou seja, 12 de junho.

Segundo o vereador, entre os dias 8 e 12, foi montado um esquema dentro de várias partes do governo para realizar uma filiação em massa ao PSB.

“Vários chefes de departamento, assessores da Prodesan, coordenadores, líderes comunitários ligados ao governo foram filiados, e em massa. Chamaram as lideranças e mandaram filiar gente”, explicou o presidente.

De acordo com ele, mais de 700 pessoas foram filiadas em três dias.

“É impossível alguém sozinho fazer isso. Foi uma máquina montada fazendo isso. Aceitamos 15 filiações, que eram pessoas que a gente conhecia, e recusamos o resto. Eles podem recorrer das impugnações. É isso que vamos discutir com o diretório. Quem avalia as impugnações é o diretório estadual. Se ele aceitar as impugnações, tudo bem. Se não, vamos continuar nossa luta. Não vamos jogar a toalha, não. Tenho o compromisso do Caio de resolver isso”, comentou o vereador.

Além do apelo do deputado Caio França,  Furtado também recebeu um pedido do prefeito Paulo Alexandre Barbosa para que o PSB siga no governo.

“Ele disse que tinha interesse em resolver esse problema, que não tinha interesse nenhum em atrito. Disse que queria uma solução pacífica para isso. Que não tinha interesse nenhum que o partido saia do governo”, falou o parlamentar.

Uma nova reunião será feita no começo de julho, após o encontro com o diretório estadual, para avaliar qual será a posição do partido. A esperança é tudo seja resolvido pacificamente.