X
Cotidiano

Projeto Musicoterapia será realizado com pacientes do Hospital Municipal de São Vicente

Ação terá início em 24 de setembro e, posteriormente, fará parte da rotina dos pacientes, tornando-se uma forte aliada na recuperação

O Hospital Municipal de São Vicente realizará, no dia 24 de setembro, das 10h30 às 11h30, o Projeto Musicoterapia / Rodrigo Montaldi/Arquivo DL

“Há músicas que contém memórias de momentos vividos. Trazem-nos de volta um passado. Lembramo-nos de lugares, objetos, rostos, gestos e sentimentos”. O psicanalista Rubem Alves, em seu livro “Na Morada das Palavras”, descreve bem o poder que a música exerce na vida das pessoas.

A musicoterapia, como o próprio nome diz, é uma forma de tratar os pacientes por intermédio da música. É uma técnica que trabalha com a saúde ao utilizar diversas formas de aprendizado, expressões e arte.

Com isso, visando o bem estar dos pacientes que ficam sob os cuidados dos enfermeiros, e com objetivo de oferecer ainda mais recursos terapêuticos a quem está internado, o Hospital Municipal de São Vicente realizará, no dia 24 de setembro, das 10h30 às 11h30, o Projeto Musicoterapia.

Nesse primeiro momento, será realizada a musicoterapia passiva, em que apenas músicas instrumentais serão tocadas. Posteriormente, será criada uma agenda semanal ou quinzenal, para que esta prática faça parte da rotina e se torne uma forte aliada às terapias tradicionais.

Musicoterapia

Há músicas que nos remetem a doces lembranças, algumas inspiram, trazem saudosismo, alegria, melancolia e euforia. Tudo vai depender da melodia que é tocada. Nosso cérebro é uma caixinha de surpresas que, ao longo dos anos, é desvendada por especialistas e, a cada nova descoberta, atesta o incrível mundo das nossas células cerebrais. Há inúmeros centros musicais espalhados pelo cérebro, que analisam diferentes componentes da música, do tom à melodia.

A música não tem somente o poder de aliviar ansiedade, ela promove relaxamento e, consequentemente, a diminuição da pressão arterial, da frequência cardíaca, entre outros benefícios. Ela pode despertar emoções que, por sua vez, estimulam a produção de hormônios bons, como serotonina, endorfina, dopamina, ocitocina, que são chamados “hormônios da felicidade”.

Estes hormônios promovem uma série de acontecimentos no organismo que são benéficos para o ser humano, especialmente em quem se encontra debilitado. As diminuições destes hormônios no organismo podem levar o indivíduo a quadros de tristeza, mau humor, irritabilidade, distúrbios psicológicos e até depressão.

A música tem o poder de estimular a produção destes hormônios, e proporcionar bem estar ao enfermo, que se encontra muitas vezes desesperançoso, triste, ansioso, devido à saúde fragilizada e ao contexto complexo de sua própria vida.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Dois PMs morrem com suspeita de febre maculosa durante curso

Vítimas eram instrutores da COPC, que teve uma fase de curso em área de mata. Casos seguem em análise pela Fiocruz

Se já estava ruim, vai piorar! Petrobras anuncia novo aumento nas refinarias

Reajuste passa a valer nesta terça-feira (26) para gasolina e diesel

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software