Projeto incentiva a educação ambiental com a criação de hortas em escolas em Itanhaém

O plano é uma ação de incentivo para que escolas e projetos da Rede Municipal de Ensino iniciem uma horta com os alunos

Comentar
Compartilhar
31 JUL 2018Por Da Reportagem20h02
O objetivo é fazer com que crianças e adolescentes tenham contato direto com a horta e acompanhem o desenvolvimento de uma planta desde sua germinaçãoO objetivo é fazer com que crianças e adolescentes tenham contato direto com a horta e acompanhem o desenvolvimento de uma planta desde sua germinaçãoFoto: Divulgação/PMI

Há quem diga que plantar é coisa de gente grande ou experiente, mas o Projeto Horta, iniciado na Casa da Criança, provou que crianças e adolescentes estão cada vez mais engajados na educação ambiental. A iniciativa promoveu aos alunos a criação de uma horta nos canteiros do local, onde foram plantadas hortaliças, plantas medicinais e ervas aromáticas. O intuito é levar a ideia para escolas e projetos da Rede Municipal de Ensino colocando em prática o que é visto em sala de aula, adotando questões do dia a dia nas atividades.

Os princípios do projeto são estimular a educação ambiental e reforçar a importância da alimentação saudável. Mas, antes de começar a plantar, há muito trabalho a fazer. Para isso, os alunos são instruídos sobre como tratar a terra, limpar os canteiros, escolher as sementes para enfim colocar a mão na massa. O objetivo é fazer com que crianças e adolescentes tenham contato direto com a horta e acompanhem o desenvolvimento de uma planta desde sua germinação.

O Projeto foi desenvolvido pelo voluntario Mário Matsuhide Kubagawa que doou seu conhecimento, tempo e dedicação para instruir os estudantes. “Hoje em dia, muitos não têm a oportunidade de ter contato com uma horta doméstica e a escola, por ser um canal de aprendizagem, pode proporcionar essa experiência a eles, então por que não iniciar uma horta nestes locais? Além de aprender com a prática os alunos podem levar a ideia para casa e plantar para o próprio consumo”, afirma Mário.

Nas escolas, o cultivo das hortaliças dependerá da preferência da gestão e capacidade local em receber plantas que exigem espaço. Mesmo que o ambiente não possua um canteiro ou lugar disponível, materiais recicláveis como garrafas pet, pneus, baldes e cano PVC podem solucionar a falta de espaço e dar partida no projeto.

Todo alimento plantado é utilizado para o consumo das crianças e também pode ser levado para suas residências. Além do trabalho didático, o projeto busca estabelecer uma proximidade entre escola e família, contando com o auxílio dos pais e responsáveis nos cuidados com a horta.