Projeto finalista no Prêmio Educador em Destaque ajuda na alfabetização infantil

O Projeto “Nós, os Abrasileirados” foi um dos finalistas de “O Oscar da Educação”

Comentar
Compartilhar
06 ABR 201517h57

Reconhecido pelo incentivo à leitura e ao conhecimento da história brasileira, o Projeto “Nós, os Abrasileirados” foi um dos finalistas de “O Oscar da Educação”, tema do Prêmio Educador em Destaque 2014, realizado pela Prefeitura de Guarujá. O professor e psicopedagogo da Escola Municipal Myriam Terezinha, no Jardim Boa Esperança, Victor Nascimento dos Santos, ficou na segunda colocação da premiação.

A ideia era mostrar aos alunos no 2º ano que os príncipes e princesas dos contos infantis realmente existiram, aguçando o interesse das crianças, “Resolvi mostrar que esses personagens existiram. Que não são irreais. Contei a história da família real vinda ao Brasil desde Dom João IV, Dom Pedro I, Carlota Joaquina e também José Bonifácio. E vi que se interessaram.”

A tecnologia avança e toma a atenção da criança, causando a cada dia menos interesse pelo estudo por parte dos pequenos. Os contos de “Era uma vez...” estão muito distante de suas realidades. Esses são alguns motivos que dificultam a alfabetização infantil e, segundo o professor, foi pensando nisso que ele iniciou o “Nós, os Abrasileirados”.

Para auxiliar no desenvolvimento do projeto, o psicopedagogo Victor Nascimento utilizou 10 livros universitários. Os livros 1808 e 1022, de Laurentino Gomes, ganhador do prêmio Jabuti (maior prêmio brasileiro de literatura), foram os livros que deram base ao programa. Usou também livros como: “O Chalaça”, de José Roberto Torero; “José Bonifácio”, de Miriam Dolhnikoff; “D. Pedro I”, de Isabol Lustosa, e “D. Pedro II”, de José Murilo de Carvalho; “O Castelo de Papel”, de Mary del Priore, além de outros livros de apoio.

Para saber mais sobre a história contada pelo professor, os alunos aprimoraram sua leitura. Para Victor, o envolvimento da família foi muito importante nesse processo, tanto que montaram um grupo para visitar alguns pontos físicos que faziam parte da história. Após o aprofundamento da história, com leitura e pesquisa de campo, o educador decidiu fazer um texto com as crianças, a 48 mãos, contando o que tinham aprendido. O último passo do projeto foi passar o conhecimento aos colegas de escola, com a exibição de uma peça teatral.

A diretora da unidade, Eloá Santos Miranda, conta que apoiou o projeto do professor quando viu o envolvimento dos alunos. Segundo ela, Victor queria discrição. “O professor me contou que faria o projeto para incentivar o amor ao País e sua história por parte das crianças. Após o sucesso do projeto, eu insisti para que ele o inscrevesse para o Prêmio Educador em Destaque”.

Formação – Graduado em Pedagogia pela Faculdade Don Domênico, e pós-graduado em Educação Infantil e Psicopedagogia também na Faculdade Don Domênico. Já na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), formou-se em conselheiro municipal de Combate ao Uso de Drogas. Ele também é pós-graduado em Alfabetização e Letramento e também em Alfabetização Matemática na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O educardor pós-graduou-se ainda pela Universidade de São Paulo (USP) em Ética, Valores e Cidadania. Atualmente está em formação Latu-Sensu Supervisão de Ensino, bem como Direito Educacional, cursos distintos pela Faculdade Brasil. Professor da rede municipal desde 2010, Victor também é psicopedagogo na ONG Instituto Apoena, em Guarujá.