Projeto de redução de frota da Prefeitura de Santos volta às discussões

De autoria do vereador Geonísio Pereira de Aguiar, o Boquinha (PSDB), o projeto visa diminuir os custos e gerar emprego e renda na cidade

Comentar
Compartilhar
23 FEV 2018Por Da Reportagem08h20
'Se a Administração utilizar táxis e aplicativos para serviços não essenciais, ficará bem mais barato', disseFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Os vereadores de Santos resolveram ontem derrubar o parecer contrário da Comissão de Justiça, Redação e Participação Legislativa por vício de origem e encaminhou para a comissão específica de transporte o projeto de lei 189/17, de autoria do vereador Geonísio Pereira de Aguiar, o Boquinha (PSDB), que prevê a redução da frota da Prefeitura a fim de diminuir os custos e gerar emprego e renda na cidade.

“O parecer está correto. Mas, por outro lado, ele chama a atenção do prefeito Paulo Alexandre Barbosa e da população sobre a questão. O Governo do Estado já faz isso. Hoje, a grande maioria dos carros da Prefeitura é alugada e se gasta, entre o motorista e o aluguel por veículo, entre cinco e seis mil por mês. Muitos ficam parados a maior parte do tempo. Se a Administração utilizar táxis e aplicativos para serviços não essenciais, ficará bem mais barato para a Administração, que ganhará, inclusive, agilidade”, afirma Boquinha.

O vereador explica que o Departamento de Saúde Mental do Município, por exemplo, não está conseguindo realizar visitas periódicas aos pacientes por falta de veículo. A evasão escolar também não está sendo acompanhada.

“Essa iniciativa vai mudar a realidade desses setores. Além disso, as empresas que ganham a licitação de aluguel de veículos são de fora e essa minha iniciativa vai favorecer taxistas e profissionais de aplicativos da cidade”, explica, ressaltando que a economia poderá chegar a 50%, colocando apenas o mínimo de carros para suprir serviços essenciais.