Professores e munícipes reclamam das condições das escolas de Cubatão

São 55 colégios, 1,3 mil professores e 15 mil estudantes, na Cidade

Comentar
Compartilhar
09 ABR 2019Por Glauco Braga19h45
Situação precária nas escolas: a falta de manutenção no telhado provocou vazamento e a derrubada do forro de uma sala de aulaSituação precária nas escolas: a falta de manutenção no telhado provocou vazamento e a derrubada do forro de uma sala de aulaFoto: Divulgação

Os professores da rede municipal de ensino de Cubatão estão em greve. Dentro da pauta de reivindicações, uma chama atenção: condições dignas de trabalho, já que os educadores alegam que as escolas do município estão destruídas. São 55 colégios, 1,3 mil professores e 15 mil estudantes.

Os problemas relatados por professores e também por munícipes são goteiras em sala; falta de quadras esportivas, devido aos problemas estruturais; falta de ventiladores; mato alto; ratos e mosquitos; cobras, pouca ou nenhuma iluminação. Sem contar que algumas unidades alagam quando chove forte.  

O vice-presidente do Sindicato dos Professores de Cubatão, Berenildo Gonçalo de Melo, confirmou o estado atual das escolas da Cidade. "As escolas que estão sucateadas, causam risco à toda a comunidade escolar".

Recentemente, o vereador Toninho Vieira questionou também a falta de alvará de funcionamento das unidades.