Produção de motos cai 12,6% no 1º trimestre, informa a Abraciclo

As vendas no atacado recuaram 6,9% entre os trimestres, com 343.804 motos comercializadas entre janeiro e março de 2015 e 369.199 nos primeiros três meses de 2014

Comentar
Compartilhar
09 ABR 201516h41

A produção de motocicletas atingiu 360.167 unidades no primeiro trimestre de 2015, queda de 12,6% sobre as 412.173 unidades de igual período de 2014, informou a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), nesta quinta-feira, 9. No entanto, em março a produção de motocicletas atingiu 127.301 unidades, alta de 14,9% ante as 110.809 unidades de fevereiro e aumento de 1,6% sobre os 125.357 veículos fabricados em março de 2014.

As vendas no atacado (das fábricas para as concessionárias) recuaram 6,9% entre os trimestres, com 343.804 motos comercializadas entre janeiro e março de 2015 e 369.199 nos primeiros três meses de 2014. Já as vendas no varejo, de 326.920 unidades no primeiro trimestre de 2015, foram 10,5% inferiores ao volume obtido no mesmo período do ano passado, de 365.306 motos.

As vendas no atacado em março atingiram 130.962 motos, altas de 20,6% e 3%, respectivamente, sobre fevereiro de 2015 (108.637 veículos) e março de 2014 (127.184). Os emplacamentos no mês passado somaram 124.507 motos, aumentos de 32,7% ante as 93.806 unidades de fevereiro e de 11% sobre as 112.212 motos de março de 2014.

Segundo a Abraciclo, as dificuldades no mercado argentino e incertezas de novos acordos internacionais levaram as exportações de motos a despencarem 76,1% no primeiro trimestre deste ano sobre igual período de 2014, de 26.619 para apenas 6.351 unidades. Com 1.686 unidades comercializadas no mercado externo, em março as exportações de motos recuaram 80,6% sobre março de 2014 e 32,3% sobre fevereiro, quando foram vendidas 2.491 motos.

A produção de motocicletas atingiu 360.167 unidades no primeiro trimestre de 2015 (Foto: Divulgação)

Projeção 2015

A Abraciclo revisou para baixo a estimativa de produção de veículos do setor em 2015. De uma perspectiva de estabilidade ante 2014, em 1,52 milhão de unidades, estimada em janeiro, a associação fala agora em queda de 6,8% na fabricação, para 1,415 milhão de motos.

As vendas no atacado (das montadoras às concessionárias) devem recuar 4,9% este ano, para 1,36 milhão de veículos. A projeção anterior, de 1,46 milhão de unidades vendidas, apontava uma leve alta de 2% em 2015 sobre o 1,431 milhão de motos comercializadas das fábricas às concessionárias no ano passado.

A projeção de vendas de motos no varejo também foi revista e passou de uma alta de 2,8% sobre o total de 1,43 milhão de unidades de 2014, para uma queda de 4,5% em 2015, a 1,365 milhão de veículos. Apesar do recuo de 76,1% no primeiro trimestre de 2015 ante igual período de 2014, a estimativa de exportação feita pela Abraciclo foi revista para cima e deve chegar a 70 mil unidades este ano, ante 55 mil veículos previstos em janeiro. Mesmo assim, se a estimativa for concretizada, as exportações ainda devem recuar 20,5% em 2015 ante as 88.056 motos comercializadas no exterior em 2014.

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, informou que a revisão das estimativas foi necessária por causa "dos resultados do primeiro trimestre e do cenário de contenção e rigidez na economia brasileira". Para Fermanian, apesar do "momento ainda de incertezas", o Salão Duas Rodas, programado para o período de 7 a 12 de outubro, em São Paulo deve gerar demanda e "certamente irá impactar positivamente nos consumidores", concluiu.