Procon se reúne com associação de carrinhos de fast food, em Guarujá

O encontro aconteceu na sede do órgão municipal, que fica no bairro do Santo Antônio

Comentar
Compartilhar
11 ABR 2018Por Da Reportagem17h17
Procon Guarujá se reuniu com representantes da Associação dos Carrinhos de Fast Food das Praias de GuarujáFoto: Divulgação/PMG

O Procon Guarujá se reuniu com representantes da Associação dos Carrinhos de Fast Food das Praias de Guarujá, na última terça-feira (10). O objetivo do encontro foi orientar sobre as adequações necessárias de funcionamento. Os presentes tiveram ainda a oportunidade de discutir e opinar sobre normas como, por exemplo, a proibição de fumo em local fechado.

"O encontro ocorreu devido às reclamações de munícipes e turistas, em que chamamos a associação dos quiosqueiros, bem como a associação dos ambulantes e carrinhos. Fizemos um reforço da fiscalização, mesmo após termos realizado a Operação Verão, de 15 de novembro (2017) a 15 de março (deste ano). O nosso objetivo é fazer com que as regras sejam seguidas, para um melhor relacionamento entre os envolvidos", diz o diretor do Procon.

A pauta da reunião discorreu sobre itens como a obrigatoriedade do Código de Defesa do Consumidor (CDC) nos estabelecimentos comerciais; se a informação é visível para recebimento ou não de pagamento em cheque; taxa de Gorjeta ou Serviço (opcional); proibição da venda de álcool para menores (venda ou consumo no local); proibida a cobrança de locação de guarda-sol, cadeiras e mesas; e de consumação mínima.

Conduziram a reunião, o diretor do Procon Guarujá, José Roberto Mendez Reinaldo e o coordenador Paulo Sérgio de Oliveira Cavalcante. O órgão municipal também realizou encontro com as Associações dos Quiosqueiros, para reforçar informações que garantam pleno atendimento dos serviços oferecidos.

Sobre a fiscalização

A ação de fiscalização junto aos quiosques e carrinhos nas Praias do Tombo e Pitangueiras ocorreu no último final de semana, com o intuito de checar se as adequações estão sendo colocadas em prática, sempre prejuízos ao consumidor.