Procon São Vicente dá dicas e cuidados para as compras de fim de ano

Coordenadora explica métodos para gastar com consciência nesta época do ano

Comentar
Compartilhar
20 DEZ 2018Por Da Reportagem04h30
São Vicente tem o comércio mais movimentado da Baixada SantistaSão Vicente tem o comércio mais movimentado da Baixada SantistaFoto: Nair Bueno/DL

Não é novidade que São Vicente tem o comércio mais movimentado da Baixada Santista. Diariamente, centenas de vicentinos e munícipes das cidades vizinhas fazem compras no Centro. Com a chegada do fim de ano, pagamento do 13º salário e as festas, o movimento aumenta. Mas, antes de sair gastando, é importante conter a empolgação e saber o que realmente vale ou não a pena adquirir.

“Os consumidores devem tomar muito cuidado com os preços. É importante pesquisar, além de escolher qual a melhor opção de compra”, explica Rosely Névola Pereira, coordenadora do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor de São Vicente.

De acordo com levantamento realizado pelo Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista (SincomércioBS), os comerciantes esperam aumento de até 5% nas compras de fim de ano. Rosely alerta para que os consumidores procurem lojas que efetuem a troca, caso necessário, para não saírem no prejuízo.

“Existe lojas que realizam as trocas e outras não. O lojista não é obrigado a efetuar a troca de mercadoria. A lei de defesa do consumidor não obriga o comerciante a fazer a troca. Por isso o consumidor deve procurar as lojas que possuem esse recurso, seja por meio de um carimbo na etiqueta ou na nota fiscal”, diz a coordenadora do Procon vicentino.

Rosely explica que, caso alguma mercadoria venha com defeito, o consumidor pode solicitar a troca na loja, se não for possível, o Procon pode entrar em contato com o fabricante para solicitar a troca. “É um processo demorado, pois é necessário passar por alguns procedimentos para identificar o problema da mercadoria”, ressalva.

Compras Online

As compras pela internet podem gerar polêmica. Rosely alerta para comprar em sites seguros e conferir a política de privacidade da página. Evitar comprar produtos de procedência duvidosa e escolher os originais é outra dica, assim como solicitar a nota fiscal.

“No caso das compras efetuadas pela internet, o consumidor pode solicitar a troca do produto. Ele tem até sete dias para devolver a mercadoria, pois não analisou o produto pessoalmente. O cliente só sabe o estado do que comprou quando ele chega à sua casa”.