Procon Guarujá certifica mais dois estabelecimentos comerciais

A iniciativa, que é composta por palestra de orientação sobre o Código de Defesa do Consumidor (CDC) ocorreu, gratuitamente, no Mercado Atacadista Munhoz (Santo Antonio) e na loja de material para construção Dicico (da Enseada).

Comentar
Compartilhar
26 MAI 201516h33

Visando melhorar a relação entre consumidores e fornecedores, o Procon Guarujá certificou na última quinta-feira (21), mais dois estabelecimentos comerciais da Cidade, com o Selo "Empresa Amiga do Consumidor". A iniciativa, que é composta por palestra de orientação sobre o Código de Defesa do Consumidor (CDC) ocorreu, gratuitamente, no Mercado Atacadista Munhoz (Santo Antonio) e na loja de material para construção Dicico (da Enseada). A realização é da Prefeitura de Guarujá, por meio da Advocacia Geral do Município.

Para o gerente da loja Dicico, Marcos Crudelli, a ação é de extrema importância. "Quando soube deste selo, logo quisemos participar e recebê-lo também. Reunimos hoje outras lojas, com funcionários dos setores administrativos e líderes de vendas. Com a palestra do Procon podemos estreitar e melhorar o atendimento aos clientes", conta.

A palestra foi ministrada pelo Advogado Geral do Município, Leandro Matsumota; o coordenador do Procon Guarujá, Paulo Sérgio de Oliveira Cavalcante; e o supervisor do órgão, Igor Souza. Logo após, os lojistas e toda equipe do Procon afixaram o selo na entrada dos estabelecimentos. Caso o local, posteriormente, apresente problemas com o consumidor, o órgão voltará ao estabelecimento para retirar o selo. Toda a semana, um comércio da Cidade contará com a palestra.

"A ideia da certificação com o selo é de fomentarmos a orientação junto aos comerciantes, porque multar é a última coisa que queremos fazer. O que desejamos é um atendimento com qualidade, e que as equipes saibam da importância de prestar um bom atendimento. Estamos lidando com o direito do consumidor, e a partir do selo o estabelecimento comercial passa a ter uma obrigação maior com o consumidor," destaca Matsumota.

Diversos itens como cancelamento de compra, pagamentos, fretes, lei da entrega, prazos, garantias, vícios nos produtos foram alguns dos itens explanados. Além disso, a palestra abordou a necessidade de especificações nos produtos colocados à venda. "Quanto mais detalhado o produto estiver na prateleira, melhor para o consumidor", atesta Sérgio Cavalcante.

Com o objetivo de levar informação, o supervisor do Procon acrescenta ainda que o órgão tem recebido muitas reclamações com relação à falta de especificações. "Muitas vezes é preciso competência e muito jogo de cintura, por parte do comerciante, vendedor. O produto tem que conter preço, validade, seja na gôndola ou na etiqueta. Preferimos educar, mas após a ciência da Lei, o Procon tem que fazer o seu trabalho", afirma Igor.

Na ocasião, Matsumota falou que o selo "Empresa Amiga do Consumidor" foi uma ideia da prefeita Maria Antonieta de Brito. "Órgão da Prefeitura, conveniado com o Estado, o Procon traz essa capacitação que agrega valor, gerando assim um passível menor à empresa, além de reduzir, consideravelmente, o número de audiências de conciliação".

Serviço – Qualquer empresa que esteja interessada na palestra para receber o Selo "Empresa Amiga do Consumidor", pode procurar o Procon Guarujá, através do telefone: 3355-6648. O órgão fica na Avenida Adhemar de Barros, 218/220, no Santo Antonio. O Procon também conta com o WhatsApp, através do número: 9-9747 7771 e sua fan page www.facebook.com/proconguaruja.