X
Cotidiano

Presidente da CDHU alinha implantação do Vida Digna com prefeituras da Baixada

Em visita às cidades que fazem parte do programa de remoção de palafitas, Silvio Vasconcellos estabelece sincronia nas ações entre a companhia e as áreas técnicas municipais

O programa prevê a construção de um empreendimento com 800 moradias em Cubatão / Divulgação

O presidente da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), Silvio Vasconcellos, visitou as cidades da Baixada Santista - Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente - que fazem parte do Programa Vida Digna, destinado a reassentar famílias que hoje vivem em situação de extrema vulnerabilidade em palafitas e áreas inundáveis. Com investimento de aproximadamente R$ 600 milhões do governo paulista, o projeto é realizado em parceria com as prefeituras e inclui a construção de 11 empreendimentos habitacionais nestes cinco municípios.

Acompanhado pela equipe técnica da CDHU, empresa vinculada à secretaria de Estado da Habitação, Silvio Vasconcelos manteve encontros com os representantes municipais destas cidades para alinhar a implantação do projeto.

"Trata-se de um dos mais ambiciosos programas socioambientais da companhia. Nesta primeira fase, irá proporcionar dignidade e qualidade de vida a aproximadamente 2,8 mil famílias que deixarão suas moradias precárias em áreas de mangue para ocuparem novas unidades habitacionais com toda infraestrutura de segurança e lazer", afirmou. "Por essa razão, é muito importante que as áreas sociais, de planejamento e de obras da CDHU estejam, como estão, em perfeita sincronia com as equipes municipais para a implantação e desenvolvimento das ações em campo conforme o cronograma estabelecido", completou.

O secretário estadual da Habitação, Flavio Amary, destacou a importância social do Vida Digna. "O principal objetivo é resgatar a dignidade desses moradores que hoje vivem em situação degradante nessas áreas. A palafita, onde muitas famílias são obrigadas a viver, é o último degrau da sub-habitação. Vamos oferecer a essas famílias a possibilidade de viver em condições de salubridade e segurança resgatando-as da realidade que hoje elas enfrentam", explicou.

O programa prevê a construção de um empreendimento com 800 moradias em Cubatão, outros dois com capacidade total para 580 famílias em Guarujá e mais três conjuntos habitacionais para 100 famílias em Praia Grande. Em Santos, o Governo de SP vai reassentar 990 famílias em três empreendimentos e em São Vicente serão erguidas 300 moradias em dois endereços diferentes. O projeto também inclui recuperação socioambiental das áreas desocupadas e sua preservação para evitar novas invasões.

Nas reuniões em que estabeleceu a pactuação com as prefeituras, o presidente da CDHU confirmou a proposta de pagamento de auxílio moradia para as famílias removidas das palafitas até a transferência definitiva às suas novas moradias.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Guarujá

Mutirão retira mais de uma tonelada de lixo no Rio Santo Amaro

Iniciativa do Instituto Gremar e do Iate Clube de Santos promoveram a limpeza no último fim de semana

Economia

Prepare o bolso! 8 orientações para as compras de material escolar

Os preços de materiais escolares variam muito entre as lojas e mesmo na internet, por esse motivo, é importante pesquisar e planejar as compras

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software