Prefeitura se reúne com Daesp e empresa de aviação e aeroporto fica mais próximo

Informação obtida pela Reportagem dá conta que o Governo do Estado estaria disposto a assumir as obras

Comentar
Compartilhar
18 SET 2018Por Glauco Braga08h30
No domingo, houve uma reunião com pessoas da empresa aérea AzulNo domingo, houve uma reunião com pessoas da empresa aérea AzulFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Representantes da Prefeitura de Guarujá e do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) estiveram reunidos nesta ­segunda-feira. Na pauta, as obras para viabilizar o aeroporto civil da Baixada Santista.  

Informação obtida pela Reportagem dá conta que o Governo do Estado estaria disposto a assumir as obras para finalmente concretizar o sonho de décadas de  prefeitos e políticos em geral. No domingo, quem esteve na cidade foi uma equipe da empresa Azul, interessada em atuar no aeroporto, o que indica um grande avanço nas negociações.

A Prefeitura de Guarujá tem feito reuniões semanalmente com empresas e órgãos,  tanto da iniciativa pública como da privada. O objetivo é tirar a obra do papel. 

A reunião com o Daesp, de acordo com a Prefeitura, foi apenas um primeiro contato para ter acesso a alternativas para o aeroporto, que ­poderia ou não ter participação do Estado.

Até o momento, existe um projeto apresentado pela Prefeitura para utilizar o espaço da Base Aérea temporariamente, o que poderia ser feito em curto espaço de tempo, enquanto a sede definitiva seria construída do outro lado da pista – que já está reservado para essa finalidade.

Detalhes

A Prefeitura elaborou um novo edital para construção e exploração do Aeródromo Civil Metropolitano, feito em parceria com técnicos da SAC e FAB, e que é mais adequado à realidade do mercado.

Para sua publicação, aguarda parecer favorável da Força Aérea Brasileira quanto à  utilização de uma nova área dentro da Base Aérea que já é consolidada, não necessitando, portanto, de todos os licenciamentos ambientais.

Neste local será construído um terminal provisório, estacionamento e píer para conectividade com Santos. A vencedora da concorrência pública também deverá homologar a pista junto à ANAC, com melhorias no pavimento, ampliação, cercamento, entre outros.

O aeródromo também deverá receber toda a parte de instrumentalização, o que permitirá o pouso e decolagens por instrumentos. Com isso, estará pronto para entrar em operação, sendo que a previsão é para o ano de 2019.

Ao mesmo tempo será executado um plano de expansão, com a construção de um terminal definitivo e acessos diversos para os próximos anos, uma vez o aeroporto ter previsão de movimentar mais de 1 milhão de passageiros em 10 anos.

Importante que a empresa Azul já demonstrou interesse em operar em Guarujá, necessitando para tanto da viabilização do empreendimento. Neste formato mais flexível, que exige ­investimento menor no início e mais rapidez na operação.