Prefeitura recebe 4 propostas pelo Pacaembu, acata TCM e não abre envelopes

Com a suspensão da licitação por tempo indeterminado, todas as propostas foram lacradas. A sessão de abertura dos envelopes nem sequer chegou a ser iniciada

Comentar
Compartilhar
16 AGO 2018Por Folhapress14h00
A Prefeitura de São Paulo atendeu a uma determinação do TCM (Tribunal de Contas do Município) dada um dia antes e suspendeu na manhã desta quinta-feira (16) o processo de licitação para a concessão por 35 anos do complexo esportivo do PacaembuA Prefeitura de São Paulo atendeu a uma determinação do TCM (Tribunal de Contas do Município) dada um dia antes e suspendeu na manhã desta quinta-feira (16) o processo de licitação para a concessão por 35 anos do complexo esportivo do PacaembuFoto: Divulgação

A Prefeitura de São Paulo atendeu a uma determinação do TCM (Tribunal de Contas do Município) dada um dia antes e suspendeu na manhã desta quinta-feira (16) o processo de licitação para a concessão por 35 anos do complexo esportivo do Pacaembu.

A gestão Bruno Covas (PSDB) chegou a receber quatro propostas, sendo uma delas após o prazo determinado das 10h30. Com a suspensão da licitação por tempo indeterminado, todas as propostas foram lacradas. A sessão de abertura dos envelopes nem sequer chegou a ser iniciada. 

As empresas que enviaram as propostas são a Construcap CCPS, Consórcio Patrimônio SP e Consórcio Arena Pacaembu. A W Torre fez a quarta proposta, às 10h33, três minutos após o prazo. A prefeitura agora irá analisar a inclusão ou não desta proposta futuramente no grupo de interessados.

Nesta quarta (15), como adiantou a Folha de S.Paulo, o TCM havia barrado a concessão, em uma ducha de água fria para a gestão Covas, que contava com ela neste momento como a primeira do grande pacote de privatizações anunciado pela gestão tucana, iniciada por João Doria (PSDB) em 2017.

Doria é candidato ao governo do estado e também contava com a concessão do Pacaembu como primeiro grande triunfo de seu programa, sobre o qual poderia capitalizar durante sua campanha.

A suspensão da concessão pelo tribunal não tem prazo definido para ser concluída, o que significa que pode ficar para apenas depois das eleições de outubro.