Prefeitura implanta mais playgrounds nas unidades de ensino infantil

Com material resistente, os brinquedos pedagógicos entram para o planejamento semanal de aprendizagem infantil

Comentar
Compartilhar
07 ABR 201416h59

Com o objetivo de oferecer maior segurança em instrumentos de aprendizagem às crianças, a Secretaria de Educação de Guarujá contempla duas novas unidades de educação infantil, com a implantação de playgrounds. No início do mês, o NEIM Marina Daige (Rua Pardal, 340 – Jardim dos Pássaros) e a EM João de Oliveira (Rua Manoel Vicente de Brito, s/nº - Morrinhos II) receberam um colorido a mais, para investir na aprendizagem dos alunos.

Anteriormente, outras oito unidades já foram contempladas pela Seduc. São elas: NEIMs Albert Sabin e Groussier Magri; EMs Professora Maria de Lourdes de Oliveira, Maria Eunice Cruz, Philomena Cardoso de Oliveira, José de Souza, Professora Magdalena Maria Cardoso Lourenço e Augusto Antunes Correa.

O total de 335 alunos da unidade João de Oliveira tem no cronograma a visita ao playground duas ou três vezes na semana. O planejamento pedagógico é dividido na aprendizagem em sala de aula e as vivências, praticadas nos brinquedos do parquinho e nos cantos lúdicos de atividades (leitura, fantasia e dramatização de histórias).

A diretora da Unidade, Roseli de Fátima Augusto Alvarenga, afirma que a notícia da instalação do playground no pátio da unidade foi recebida com grande alegria por todos. “A equipe gestora da escola valoriza muito o brincar. A novidade veio contribuir, significativamente, para o estímulo da aprendizagem e dos relacionamentos.”

Os movimentos realizados durante a brincadeira são resultados de desenvolvimentos pedagógicos. O deslocamento é facilitado, por meio das rápidas subidas e descidas nas escadas e escorregadores. O balanço e gira-gira oferecem uma percepção de velocidade. A socialização e a resolução de conflitos são aprendidas por meio do pensar em relação à utilização dos espaços e os limites do corpo. A criatividade possibilita aos alunos imaginar que estão vivenciando personagens, encontrados em contos infantis.

Para o aluno de 5 anos Antônio Soares Lima Filho, a brincadeira exige algumas regras para uma brincadeira alegre e saudável. “A professora disse que nós temos também que esperar a vez dos amigos e ajudar todos”.

A mãe do aluno Pedro Falcão, Mellory Morgane Cândido dos Santos, diz ter percebido o reflexo das atividades no parquinho, pelo ânimo do filho. “Eu senti uma mudança muito boa no comportamento do Pedro. Pude perceber que as educadoras orientam a brincadeira de maneira a repercutir na aprendizagem. Em apenas dois meses de aula, meu filho já está começando a ler”.

Segundo a coordenadora de pré-escola da Prefeitura, Regina Lúcia Rodrigues, o brincar significa prática no aprendizado na educação infantil. “Contar com um parquinho nas unidades escolares representa muito mais que um espaço para brincar e se divertir. Os espaços contribuem para o desenvolvimento de habilidades motoras, criatividade e também é um excelente exercício de socialização”.