Prefeitura entrega nova Base de Monitoramento Ambiental do Guarujá

O equipamento foi inaugurado nesta terça-feira (15), Dia de Santo Amaro.

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201316h31

Um salto de qualidade na gestão ambiental de Guarujá foi dado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam). Na última terça-feira (15), a prefeita Maria Antonieta de Brito entregou à população a reforma do Pier e a Casa Flutuante Aratu, ancorada no Canal de Bertioga, onde funcionará a Base de Monitoramento Ambiental do Guarujá. Fruto de uma parceria entre a Prefeitura, Ministério Público Estadual e iniciativa privada, o local abrigará também o ambulatório médico de socorro e estabilização do Grupo de Resgate e Reabilitação de Animais Marinhos, especializado no tratamento de espécies acidentadas ou intoxicadas.

A prefeita Maria Antonieta de Brito falou do esforço realizado para recuperar a casa flutuante, lembrando que o equipamento estava dilapidado e agora estará disponível para proteger o meio ambiente. “É mais uma conquista para a população. Foram quatro anos de luta e graças ao apoio e comprometimento da comunidade e de parcerias, como a do Gremar, que atua com responsabilidade e respeito da vida animal, do Ministério Público Estadual e iniciativa privada estamos avançando e entregando esse equipamento que servirá não só como um centro de pesquisa científica, mas também como local para toda a comunidade e o desenvolvimento da educação ambiental em nosso Município”.

Em seu pronunciamento, a chefe do executivo também lembrou dos avanços na área do meio ambiente, como a assinatura do decreto que criou, em junho de 2012,  a Área de Preservação Ambiental (APA)  da Serra do Guararú. “Nosso objetivo é proteger as gerações das famílias que sempre viveram aqui. Vamos avançar e construir esse instrumento juntamente com toda a comunidade”, afirmou Antonieta.

A prefeita Maria Antonieta de Brito entregou à população a reforma do Pier e a Casa Flutuante Aratu, ancorada no Canal de Bertioga. (Foto: Pedro Rezende/ Divulgação/ PMG)

O secretário do Meio Ambiente, Élio Lopes dos Santos ressaltou o esforço de toda equipe da Seman, Gremar, Ministério Público Estadual e iniciativa privada para a criação do novo Centro de Monitoramento Ambiental. “Até outubro, estará inteiramente pronto e poderemos aumentar a periodicidade da análise da qualidade da água das praias do Guarujá”, disse o responsável pela pasta.

A responsabilidade para com a natureza também foi lembrada pelo presidente da Câmara, Marcelo Squassoni. “Queremos o desenvolvimento, o progresso e novos investimentos, mas com responsabilidade e carinho para com o meio ambiente”, afirmou

Também participaram do evento comunidades do Rabo do Dragão/ APA da Serra do Guararú. O presidente da Associação dos Amigos do Perequê, Miguel Santos Arruda falou em nome dos moradores. “É gratificante ver o resultado e a possibilidade de participarmos das decisões que nos afetam dentro da Agenda 21, do Projeto Orla e do Comitê da APA-Serra do Guararú. É uma administração que dá oportunidade da comunidade participar”, lembrou Arruda.

Após o descerramento da placa de inauguração pela prefeita, representantes da Câmara Municipal e da comunidade, o padre Pavani, da Igreja Matriz do Guarujá, benzeu as novas instalações do Centro de Monitoramento Ambiental lembrando o salmo 126: “É preciso construir a casa, que Deus a abençoará e protegerá”.

Um novo espaço para pesquisa e educação ambiental

Durante a entrega dos novos equipamentos também foi falado do novo Laboratório de Monitoramento Ambiental. O equipamento, que deverá estar concluído até outubro deste ano, permitirá a análise laboratorial da qualidade e balneabilidade da água das praias da Cidade. No local, haverá também a Base de Fiscalização Grupamento Ambiental da Guarda Municipal, que já está operando.

Os investimentos somam R$ 1,1 milhão em equipamentos e instalações, que resultam do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado entre o Ministério Público Estadual e a Prefeitura.

O novo píer, reformado com subsídios da empresa Phoenix Construtora e o Flutuante Aratu, totalmente recuperado com recursos do TAC e da Saipem do Brasil.

Por estar em uma área de mangue e na Mata Atlântica da Serra do Guararu, o local é um imenso laboratório a céu aberto, onde não só os alunos da rede municipal de ensino, mas também estudantes universitários e pesquisadores poderão desenvolver trabalhos e pesquisas.