Prefeitura e Sabesp inspecionam imóveis na Operação Caça-esgoto

Secretário do Meio Ambiente diz que operação visa a balneabilidade das praias

Comentar
Compartilhar
03 FEV 201317h21

A Secretaria de Meio Ambiente de São Vicente juntamente com a Sabesp iniciaram ontem a Operação Caça-esgoto no bairro do Gonzaguinha para identificar possíveis ligações clandestinas de esgoto.

Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Alfredo Moura, a operação começou no Gonzaguinha por ser um bairro que concentra pousadas e há suspeitas de ligações de esgoto irregulares.

O gerente da Sabesp em São Vicente, Luiz Celso Ferreira Arruda, que também acompanhou os trabalhos dos técnicos nas bocas de lobo do entorno da Praça 22 de Janeiro, disse que foram adicionados corantes nas redes de esgoto dos imóveis. Caso algum corante apareça na rede de galerias pluviais vistas pelas bocas de lobo, será possível identificar a ligação clandestina e a qual imóvel pertence. A ligação correta deve estar ligada diretamente na rede da Sabesp e não na rede pluvial do Município.

O bairro do Gonzaguinha também foi escolhido devido às ramificações do Rio Sapateiro que corta parte do Centro da Cidade, desaguando na praia do Gonzaguinha, junto ao Marco Padrão (Monumento Comemorativo ao IV Centenário da Fundação da Vila de São Vicente.

Segundo o secretário, as inspeções serão feitas no perímetro entre a praia dos Milionários e o bairro do Itararé, na divisa com Santos, já que as tubulações da Sabesp seguem até o Emissário Submarino. ”Nosso objetivo é contribuir para a balneabilidade das praias, já que o esgoto clandestino acaba sendo despejado no mar”, afirmou Alfredo Moura.

Penalidade

Alfredo Moura explicou que o proprietário do imóvel que fez a ligação clandestina está sujeito à multa no valor de R$ 780, sendo obrigado a regularizar o encanamento junto à Sabesp num prazo de 30 dias, a partir da notificação da Prefeitura.

“Em caso de reincidência a multa dobra e o prazo para recurso ou tomar as providências para a regularização diminui para 15 dias. Não queremos neste momento multar os proprietários de imóveis que têm ligações irregulares, mas orientá-los a regularizar suas tubulações de esgoto e caixa de gordura”, disse o secretário.