Prefeitura de SV assina contrato com empresa responsável pelo transporte público

A partir de agora, o prazo é de seis meses para implantação do novo sistema

Comentar
Compartilhar
17 MAI 2019Por Da Reportagem17h04
O chefe do Executivo está confiante com as mudanças e espera que as pessoas fiquem satisfeitasFoto: Divulgação/PMSV

Em breve, São Vicente terá mudanças no sistema de transporte coletivo. Na manhã desta quinta-feira (16), foi assinado o contrato com a empresa Otrantur Transporte e Turismo que, nos próximos 20 anos,vai explorar e prestar o serviço. Agora, ela tem seis meses para implantar o novo sistema.

Na cerimônia, o prefeito de São Vicente, Pedro Gouvêa, recebeu o gerente operacional da empresa, Ricardo Sales; o deputado estadual Caio França; os secretários de Trânsito e Transportes, Alexandre de Almeida Costa; de Comércio, Indústria e Negócios Portuários, Felipe Roma, e de Governo, Jefferson Teixeira, além do presidente da Câmara Municipal, Wilson Cardoso, e outros vereadores.

O chefe do Executivo está confiante com as mudanças e espera que as pessoas fiquem satisfeitas. A estimativa é de que cerca de 2,4 milhões de usuários utilizem o transporte vicentino por mês. “Toda frota será remodelada, modernizada, contará com sinal de Internet wi-fi em todos os veículos, ar-condicionado e mais conforto. Além disso, mais bairros serão atendidos e uma das novidades será a integração entre as linhas e com o VLT”.

O deputado estadual Caio França também ressaltou a importância desta novidade. “Haverá uma melhora significativa para todos os usuários e, além disso, com a integração do sistema, as pessoas vão poder economizar tempo e dinheiro”.

A proposta foi definida por meio de um Projeto Executivo e haverá uma adequação de todo o transporte às necessidades de pessoas com deficiência e idosos; integração física, operacional e tarifária do serviço, atendimento a bairros e localidades ainda desassistidos; aproveitamento parcial dos atuais itinerários; serviço noturno (Corujão), com duas linhas na Área Insular e outras duas na Área Continental; além de horários estendidos à noite e aos finais de semana.

O sistema também deve ser totalmente interligado ao Terminal Urbano e ao Terminal Rodoviário de São Vicente (Avenida Capitão Antônio Luís Pimenta, 130 – Parque Bitaru). A tarifa aplicada será de R$ 3,95. Porém, com novidades. De acordo com o gerente operacional da Otrantur, Ricardo Sales, haverá um cartão eletrônico e, com isso, as pessoas têm até uma hora para pegar outra condução sem pagar nada. “Todo sistema será eletrônico, com biometria e câmeras nos veículos. Queremos que as pessoas tenham conforto e segurança, além de economizarem”.

A tecnologia será aliada dos usuários. O secretário de Trânsito e Transportes, Alexandre de Almeida Costa, explica o que vai mudar. “A população terá como consultar a localização dos ônibus, linhas e itinerários por meio de um aplicativo. Isso vai ajudar as pessoas a se programarem”.

A quantidade de veículos também foi definida no estudo. A frota contará com 61 ônibus convencionais (com capacidade para 44 passageiros), além de seis veículos reservas e também 168 micro-ônibus (com capacidade para 24 lugares) para circulação e mais dez reservas.

O projeto ainda prevê que a empresa vencedora disponha de garagem com espaço fechado, com estacionamento, abastecimento, lavagem, manutenção, sala de treinamento e administração. O prefeito Pedro Gouvêa disse que um estudo será feito para ver se é possível que a empresa instale um espaço próximo ao Centro Administrativo.

Empresa vencedora – A Otrantur havia sido credenciada em abril, quando foram abertos os envelopes contendo informações técnicas sobre as empresas que atenderam ao chamado da Prefeitura, por meio de Edital. O primeiro passo foi a abertura desses envelopes, que continham a documentação de habilitação das empresas participantes. Na ocasião, a SV Transportes Ltda foi inabilitada, mas teve prazo de cinco dias úteis para recorrer.

Em seguida, foi aberto o envelope com as propostas da Otrantur e a partir daí, depois de análise e cumprimento das exigências, foi declarada a empresa vencedora.A elaboração do estudo para o novo sistema de transporte acompanhou o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado pela Prefeitura e pelo Ministério Público, para que, em 2019, a Cidade tivesse o seu transporte municipal definido por meio de licitação pública.

Colunas

Contraponto