Prefeitura de SP exporta sistema anticorrupção para governo de Minas

O programa, chamado Sistema de Controle de Bens Patrimoniais dos Servidores Públicos, cruza informações sobre a renda e o patrimônio acumulado pelos servidores públicos

Comentar
Compartilhar
05 MAR 201521h05

Convênio divulgado nesta quinta-feira, 5, entre a Prefeitura de São Paulo e a Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais vai transferir para o governo mineiro o software que permitiu que a Prefeitura descobrisse a Máfia do Imposto Sobre Serviços (ISS), em 2013.

O programa, chamado Sistema de Controle de Bens Patrimoniais dos Servidores Públicos (Sispatri), cruza informações sobre a renda e o patrimônio acumulado pelos servidores públicos. Esse cruzamento aponta indícios de enriquecimento ilícito, o que coloca servidores sob suspeita.

O sistema foi instalado em São Paulo pelo então controlador-geral Mário Spinelli. É ele quem comanda, atualmente a Controladoria-Geral mineira. Ele foi escolhido pelo governador Fernando Pimentel (PT).

No Estado, Spinelli está realizando uma auditoria nas contas das gestões do PSDB no Estado, governado até o ano passado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Embora tenha perfil técnico, a ida de Spinelli para Minas foi articulada por petistas que desejavam uma 'devassa' nas gestões tucanas de Aécio Neves e Antonio Anastasia.