Prefeitura de Praia Grande quer intensificar fiscalização no Carnaval

Ação será realizada em três turnos e venda de spray de espuma está proibida.

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201320h02

Praia Grande deverá receber, no período de Carnaval, cerca de um milhão de pessoas. Essa grande concentração de potenciais consumidores atrai o comércio clandestino de produtos. Para coibir a venda ilegal, a Secretaria de Finanças (Sefin) irá intensificar a Operação Verão de fiscalização. A partir de sexta-feira (8) até a quarta-feira de cinzas (13), as equipes trabalharão em três turnos, das 8 às 2 horas da madrugada.

As ações visam não só coibir a ação de comerciantes clandestinos, mas também garantir a qualidade dos serviços prestados. O trabalho vai observar, ainda, vendedores que não se adequaram à Lei Complementar 172/97, que exige rigorosa higiene pessoal e do equipamento. Quem estiver atuando ilegalmente terá suas mercadorias apreendidas.

Os produtos poderão ser recuperados pelos donos nos prazos de 24 (para perecíveis) e 48 horas (para não perecíveis), na Divisão de Permissões e Concessões. Para isso, haverá cobrança de multa de R$ 348,75 e outros R$ 2,32 por produto. Se não resgatados, os materiais não perecíveis serão doados à Secretaria de Promoção Social (Sepros), que realiza bazares beneficentes, revertendo o dinheiro para entidades e programas assistenciais. Já as bebidas e alimentos são descartados.

O produto conhecido como “lança espuma” ou “spray de espuma” receberá atenção especial dos fiscais (Foto: Divulgação)

Spray de espuma

O produto conhecido como “lança espuma” ou “spray de espuma”, geralmente vendido irregularmente nessa época do ano, receberá atenção especial dos fiscais. Em Praia Grande sua comercialização é proibida (Lei Municipal 1548/11).

Como explicou o chefe do Departamento da Receita da Sefin, José Augusto Lopes, já foram constatadas várias ocorrências relacionadas ao produto. “Os danos à saúde que a espuma pode causar são, entre outros, alergia e irritação na pele e queimadura nos olhos e mucosas. Além disso, não são poucos os casos em que a brincadeira acaba gerando problemas de violência e desentendimento”.

O comerciante clandestino ou regularmente estabelecido, que for flagrado vendendo o produto, além de ter toda a mercadoria apreendida, estará sujeito às sanções administrativas e pecuniárias e ainda, a critério da autoridade policial, poderá ser encaminhado à delegacia, para que seja lavrado boletim de ocorrência.  As unidades apreendidas do spray serão encaminhadas para destruição.