Prefeitura de PG vai doar terreno para construção de novo prédio do IML

A decisão foi tomada na manhã desta sexta (10) durante reunião entre o prefeito Alberto Mourão e a superintendente da Polícia Científica de São Paulo, Norma Bonaccorso

Comentar
Compartilhar
10 JAN 201417h37

A Prefeitura de Praia Grande vai doar um terreno para a construção de um novo Instituto Médico Legal (IML) na Cidade. A decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira (10) durante reunião entre o prefeito Alberto Mourão e a superintendente da Polícia Científica de São Paulo, Norma Bonaccorso, para solucionar problemas no prédio instalado atualmente na Cidade e que estava fechado desde novembro. A curto prazo, outras medidas serão tomadas pela Administração Municipal para garantir a manutenção dos serviços.

Preocupado com a situação da população e prevendo os problemas que surgiriam em decorrência do deslocamento de uma cidade para outra, o prefeito Alberto Mourão se colocou à disposição da Superintendência da Polícia Científica, de quem é a responsabilidade pelos IMLs. “Além dos transtornos à população, haveria um desfalque nas viaturas empenhadas no transporte dos presos, que têm de ser submetidos ao exame de corpo de delito, pois levariam mais tempo nesse trajeto”.

Após discutir as possibilidades para viabilizar a volta no atendimento, uma comitiva formada pelo prefeito, a superintendente, o diretor do Deinter 6 - delegado Aldo Galiano – a promotora de Justiça, Ana Maria Molinari, e vereadores (inclusive membros da Comissão Especial de Vereadores que apurava o caso) realizaram uma vistoria nas instalações do IML.

Prefeito Alberto Mourão e a superintendente da Polícia Científica de São Paulo, Norma Bonaccorso (Foto: Divulgação/PMPG)

Com a vistoria, ficou definido que a prefeitura fará a doação de um terreno, provavelmente ao lado do prédio atual, para a construção do IML, a cargo do governo do Estado. “O Ministério Público vai sobrestar a ação para dar tempo ao Estado para fazer a licitação para a construção do imóvel e a prefeitura, num primeiro momento, vai fazer adequações no prédio atual e, posteriormente a doação do terreno e do projeto executivo da obra”, afirmou Mourão.

Isso possibilitará a retomada dos exames de corpo de delito em aproximadamente 20 dias, conforme explicou a superintendente, que afirmou ainda ter ficado bastante satisfeita com o resultado da reunião. “As necropsias deverão ser retomadas em dois meses, com a reforma da câmara fria, já que não será necessária a aquisição de uma nova”.

Os serviços foram suspensos em novembro do ano passado após uma determinação do Ministério Público, que apontava problemas estruturais no prédio onde o IML está instalado, ao lado do Cemitério Municipal, no bairro Antártica. Desde então, as pessoas que precisavam de algum serviço do órgão, como exames de corpo de delito ou até mesmo a liberação de um corpo, tinham de se dirigir até Santos.