Prefeitura de Guarujá se reúne com segmentos para tratar cláusulas sociais do servidor

Cláusulas sociais com ajustes que devem ser feitos, regulamentados ou ampliados.

Comentar
Compartilhar
17 ABR 201512h51

Reforçando o diálogo e a transparência com os servidores de Guarujá, a Prefeitura criou grupos de trabalho que envolvem secretarias e segmentos do funcionalismo público para tratar das cláusulas sociais referentes aos pedidos contidos na proposta de reajuste salarial, já aprovada pelo Legislativo, apresentadas pelos sincantos dos Funcionários Públicos da Prefeitura (Sindserv), dos Professores de Escolas Públicas Municipais (Siproem).

As cláusulas sociais são ajustes que devem ser feitos, regulamentados ou ampliados, e não geram um desembolso imediato por parte dos empregadores, como abono de faltas, condições de segurança e higiene do trabalho, adequações a plantões de escalas, entre outros.

Desde o início desta semana, essas comissões têm realizado reuniões no Paço Municipal, com os membros de cada segmento do funcionalismo, de forma a ouvir os anseios e principais pedidos da categoria. Essas reivindicações somariam ao aumento no salário base de 7,14%, mais 8,33% no auxilio alimentação e 10% no salário consorte (incluindo relações homoafetivas) e 50% no salário família.

Já ocorreram reuniões com as seguintes secretarias, grupos e segmentos: Educação, Fiscalização, Previdência e Saúde. Os encontros são destinados somente aos servidores envolvidos diretamente no pleito. Nesta sexta-feira (17), a reunião será com os servidores da Defesa e Convivência Social, que compreende os agentes de trânsito, guardas civis municipais, além dos vigias.

Os encontros continuam na próxima semana, com a categoria da Assistência Social, agentes de serviços gerais, escriturários, auxiliar administrativo, condutores de veículos, entre outros.