Prefeitura de Guarujá deve adotar transporte por BRT

Na última quinta-feira (5), a administração municipal promoveu audiência pública sobre o assunto

Comentar
Compartilhar
06 ABR 2018Por Da Reportagem19h01
Guarujá deve ter um novo modelo de transporte coletivoFoto: Divulgação/PMG

Guarujá deve ter um novo modelo de transporte coletivo nos próximos anos. Isso é o que foi apresentado aos munícipes na audiência pública do modelo de Concessão do Transporte Público, realizada na quinta-feira (05), no auditório da Unaerp. De acordo com o edital, que deve ser lançado no próximo mês, a Cidade deve ter o modelo de Bus Rapid Transit (BRT), tendo como responsabilidade da empresa que vencer a licitação a adaptação de uma nova frota com novos modelos de veículos.

"Esse governo acredita que transporte público não é fonte de arrecadação para o Município. Acreditamos que o transporte público deva ter qualidade e conforto, pois é um direito básico do morador de Guarujá", destacou o secretário de Defesa e Convivência Social de Guarujá, Luiz Cláudio Venâncio Alves.

Esta nova audiência pública ocorreu devido às modificações feitas no edital, em relação ao lançado pela administração anterior, que entre uma de suas premissas previa a obrigatoriedade do pagamento de uma taxa de outorga ao Município, por parte da empresa vencedora da concorrência.

"No contrato anterior havia a exigência de construção de dois terminais, o que foi feito em Vicente de Carvalho e no Ferry Boat. Já o lançado pela antiga administração, não havia a previsão de novos terminais e nem instalação de ar-condicionado nos veículos e wi-fi livre", pontuou Venâncio. Este novo edital a ser lançado vai ao encontro do Plano Municipal de Mobilidade Urbana (Lei n.º 216/2017).

O novo edital prevê a concessão pelo período de 20 anos, em lote único, para a prestação e exploração do serviço público regular de transporte coletivo de passageiros na Cidade. O vencedor será o que oferecer o menor valor de tarifa de remuneração, sendo necessária a demonstração de experiência na operação de serviços de transportes. Ele também deverá fixar prazos para o inicio da operação e instalação de garagens compatíveis com a jurisprudência do TCE-SP e seguir um cronograma para a realização das benfeitorias no sistema viário urbano adequado para o BRT.

Dentro das exigências feitas pela Prefeitura à empresa vencedora, está a instalação de um sistema de Transporte Público com Tecnologia BRT (Bus Rapid Transit); investimentos do concessionário na Infraestrutura do Transporte Público; melhoria real da qualidade do transporte oferecido, com maior conforto e oferta de viagens; utilização de ônibus articulados, padron e microônibus, todos adaptados para pessoas com deficiência, ar condicionado e wifi. Ainda há a previsão de implantação de serviços executivos e turísticos, além de serviço especial gratuito operado com van adaptada para transporte de pessoas com deficiência e com tecnologia de informação e controle.

Segundo o diretor de Trânsito e Transporte Público de Guarujá, Rodrigo Beccari, o estudo da nova rede de transporte público parte da premissa de que as pessoas não devem ficar muito tempo esperando o ônibus. "Queremos algo integrado, em que as pessoas não fiquem por muitos minutos esperando seu coletivo passar", pontuou.

De acordo com o estudo apresentado na audiência, a empresa deverá investir cerca de R$ 197 milhões neste projeto, incluindo a compra de 120 novos ônibus (entre articulados, padrons, convencionais, microônibus, doubledeck para turismo, executivos e vans, todos com ar-condicionado e wi-fi livre); infraestrutura (instalação de corredores exclusivos de ônibus, pontos de ônibus, estações de embarque e desembarque, além da reforma e construção de terminais); instalação da tecnologia necessária e construção da garagem para a frota.