Prefeitura de Cubatão providencia abrigo para vítimas das chuvas

Níveis recordes para o mês estão sendo registrados

Comentar
Compartilhar
23 FEV 201311h01

Em razão das fortes chuvas que atingiram Cubatão na tarde e noite desta sexta-feira (22), que já atingem níveis recordes para o mês, todas as equipes de emergência da Prefeitura estão mobilizadas para atendimento aos desabrigados. Muitas crianças de escolas e creches, que não puderam ir para suas casas devido às inundações, estão sendo mantidas nas próprias unidades educacionais, com atenção de professores e monitores, e a Prefeitura providenciou lanches e outros recursos para atendê-las, bem como para os desabrigados, que estão sendo reunidos no Centro Esportivo Castelão. Cerca de 15 pessoas já estão sendo atendidas no local, e um grupo de 50 pessoas da Vila Noé está sendo levado para ali neste momento.

A prefeita Marcia Rosa, o vice-prefeito Donizete Tavares do Nascimento, e os secretários municipais, estão comandando as providências para o atendimento aos desabrigados. Junto com a Defesa Civil, as equipes permanecem em plantão verificando as ocorrências de alagamentos e deslizamentos reportadas pela população em toda a cidade.

As autoridades cubatenses estão solicitando o envio de doações para os desabrigados (colchões, cobertores, água potável, alimentos não perecíveis e artigos de higiene pessoal). As doações estão sendo recebidas no Centro Esportivo Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, na Rua Embaixador Pedro de Toledo, 365, Centro.

Por ter sido necessário paralisar o sistema de tratamento de água da Sabesp, é recomendado à população economizar água potável até a normalização do abastecimento.

Os bairros mais atingidos foram o Pilões e a Água Fria (Foto: Reprodução)

Recordes

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de Cubatão (Comdec) já vinha mantendo o nível "Atenção" no Plano Preventivo da Defesa Civil (PPDC), que é acionado sempre que a quantidade de chuva acumulada em 84 horas ultrapassa os 100 milímetros. A mudança para os estágios seguintes (níveis Alerta ou Alerta Máximo) depende de ocorrerem desabamentos de construções e outras situações previstas no PPDC.

No posto medidor situado na Cota 400, já às 21h30 eram registrados 104 mm apenas nas últimas 24 horas, ou 107,8 mm em 84 horas.

Ou seja, em poucas horas choveu bem mais do que o previsto para todo o mês, como aliás foi registrado pela Sabesp no monitoramento do Sistema Rio Grande (que inclui o reservatório Billings), que na noite de sexta-feira já acumulava 228,4 mm de pluviometria, contra a média histórica de 205,3 mm para os meses de fevereiro.

Com a continuidade das chuvas, a Rede Telemétrica Cubatão, do Sistema de Alertas a Inundações de São Paulo (Saisp) já registra às 2h00 pluviosidade de 250,4 mm nas últimas 24 horas, no Centro, ou seja, 234,8 mm desde as 16 horas desta sexta-feira. Circunstância que agrava o problema das inundações, por dificultar a vazão das águas, a maré está crescente neste momento, devendo atingir a preamar de 1,4 metro às 2h06. A próxima baixamar será registrada às 7h36, quando o nível do mar será de 0,3 m.