Banner gripe

Prefeitura de Cubatão garante que solicitou cateterismo a aposentado

Secretaria de Saúde do Estado informou que não existe solicitação desse exame com urgência para o paciente

Comentar
Compartilhar
12 MAR 2019Por Glauco Braga09h20
A Prefeitura de Cubatão diz que solicitou o exame, mas o Estado diz que não recebeuFoto: Nair Bueno/DL

A Secretaria de Saúde de Cubatão garantiu ontem que enviou ao Departamento Regional de Saúde da Baixada Santista IV a solicitação inicial do exame de cateterismo do aposentado Genival Borges Monteiro, de 53 anos, morador de Cubatão.

"Em dezembro de 2018, as marcações de cateterismo foram inclusas no sistema CROSS, sendo os municípios treinados pra utilização da nova ferramenta e após o treinamento cada município passou a cadastrar a lista de espera do exame no sistema".

Acometido por um Acidente Vascular Cerebral (AVC), em janeiro de 2017, ele, a esposa e a filha mais velha fazem uma verdadeira maratona em busca de atendimento e exames específicos. Sem contar com o primeiro diagnóstico feito na Unidade de Pronto de Atendimento (UPA) quando ficou dois dias internado e foi liberado pois, ao contrário do AVC, estaria apenas com "dores musculares".

Lista

A Secretaria ressaltou ainda que, apesar de organizar a lista de espera, cadastrando no sistema de regulação do Estado e apontando as urgências quando solicitadas pelo médico, o município não tem gestões das vagas e portanto não pode prever quando será o exame executado. Os agendamentos são de responsabilidade da Secretaria de Saúde do Estado.

No mais, a Secretaria de Saúde de Cubatão acompanha o caso, mas tem como norma não divulgar informações particulares de pacientes.

Uma tomografia para avaliar os estragos do AVC no cérebro de Monteiro demorou três meses para ser realizado. Quando ficou pronto, o médico pouco conseguiu ver, pela demora do exame,e pela qualidade do material com o resultado que foi entregue.

Sem plano

Ex-vendedor de frutas por atacado, em Santos, a família Monteiro não tem plano de saúde, por isso, procura atendimento nos serviços de saúde de Cubatão. "Ele estava com dores no peito e voltamos ao médico. Dessa vez, pagamos uma consulta. Ele pediu um cateterismo com urgência. Aí, começou nossa batalha", afirmou Fabiana.

No dia 24 de março de 2017, com a requisição do exame urgente em mãos, deram entrada com o pedido junto à policlínica.

"Pediram para aguardar a vez dele". Em janeiro passado, Fabiana foi até a Secretária de Saúde da Cidade para saber se já havia saído a autorização do exame do marido. Lá, foi informada que era preciso paciência, pois havia sete pessoas na frente deles.

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não existe nenhum pedido de urgência para um exame de cateterismo no nome de Genival Borges Monteiro.

 

Colunas

Contraponto