Prefeitura dá início a obras do Centro Pop no Paquetá

O futuro Centro Pop terá área total de 792 m², capacidade para acompanhar 230 pessoas em situação de rua por mês, de segunda a sexta, das 8h às 18h.

Comentar
Compartilhar
22 NOV 201308h36

A Prefeitura iniciou, nesta quinta (21), a construção de um Centro Pop na rua Amador Bueno, 446, Paquetá. O futuro equipamento da Seas (Secretaria de Assistência Social) levará 15 meses para ser erguido em terreno do município, e exigirá R$ 2,3 milhões em investimentos.

A edificação (detalhes abaixo) permitirá ampliar para 230 o número pessoas em situação de rua acompanhadas por mês. A previsão é de aumentar o quadro de servidores para 45, e além do atendimento psicossocial e de oficinas culturais, será criada atividade de leitura.

O Centro Pop atual funciona em prédio do Albergue Noturno, na rua Conselheiro Saraiva, 13, com equipe de 25 profissionais. Projetado para acompanhar 80 pessoas/mês, de imediato superou essa meta e em pouco mais de três meses já atendeu 1.285 cidadãos.

Presente ao novo local no início das obras, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa apresentou um balanço do Programa Recomeçar, que já 'tirou' 281 pessoas das ruas. O chefe do Executivo também lembrou sobre a prioridade da administração com a área social, ao se referir ao aumento de 27,9% do Orçamento destinado à Seas.

A edificação terá 3 pavimentos, 8 sanitários e vestiários, lavanderia, canil, salas de espera, recepção, administração, ambulatório, sala de curativos, sala para atividades em grupo e seis salas de atendimento

Tarefas
No local de construção do novo Centro Pop fica um galpão da prefeitura. A primeira tarefa das obras prevê a preparação para desmontar o telhado. Depois, muros de arrimo serão erguidos nos dois lados e nos fundos. Por fim, começa a fundação do terreno e a construção do edifício.
 
Detalhes
O futuro Centro Pop terá área total de 792 m², capacidade para acompanhar 230 pessoas em situação de rua por mês, de segunda a sexta, das 8h às 18h.
A edificação terá 3 pavimentos, 8 sanitários e vestiários, lavanderia, canil, salas de espera, recepção, administração, ambulatório, sala de curativos, sala para atividades em grupo e seis salas de atendimento.

Vai oferecer banho, guarda de pertences, retirada de documentos pessoais, atendimentos social e psicológico e oficinas culturais.
O quadro de pessoal será formado por psicólogo, terapeuta ocupacional, assistente social e operadores sociais.