Prefeitura apresenta estudos de concessão do Aeroporto de Gurujá

O Governo Municipal apresenta à União o modelo de concessão direta à iniciativa privada, por meio de processo licitatório

Comentar
Compartilhar
03 MAI 201411h09

A Prefeitura de Guarujá vai apresentar, na segunda-feira (5), os estudos de modelagem de concessão pretendida para o empreendimento Aeroporto Civil Metropolitano de Guarujá (ACMG) na Secretaria de Aviação Civil (SAC) da Presidência da República, em Brasília. Após um período de pesquisas, as análises desenvolvidas consideraram as vocações da Cidade e Região e ratificam a viabilidade econômico-financeira do projeto. O Governo Municipal apresenta à União o modelo de concessão direta à iniciativa privada, por meio de processo licitatório.

Com a outorga conquistada pela prefeita Maria Antonieta de Brito e com apoio do vice-presidente da República, Michel Temer, que reconheceu a importância estratégica do Aeroporto Civil Metropolitano de Guarujá para o cenário estadual e o plano nacional aeroportuário, o empreendimento se tornou, de fato, viável. O Aeroporto é uma prioridade do Governo Federal entre os 270 aeroportos regionais que poderão receber investimentos federais.

A partir desta etapa de apresentação dos estudos de modelagem da concessão, a Prefeitura fica no aguardo da anuência da SAC e dará total atenção aos estudos ambientais. O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Portuário, Adilson Luiz de Jesus, e o diretor de Desenvolvimento Aeroportuário da Prefeitura, Dário Lima, irão protocolar os estudos na SAC/PR Presidência da República.

Prefeita Maria Antonieta aguarda análise (Foto: Matheus Tagé/DL)

O empreendimento

O Aeroporto Civil Metropolitano de Guarujá atenderá toda a Baixada Santista e terá capacidade para receber 20 voos diários, com vocação para turismo, turismo de negócios e aviação offshore. A previsão é que a implantação, que será de responsabilidade da iniciativa privada, seja de infraestrutura modular, o que garante a agilidade na construção. Atualmente, a pista, que já recebe as operações militares, conta com 1.390 metros de extensão.

O terminal de passageiros terá capacidade aproximada para 500 mil passageiros/ ano.