Prefeito de Registro solicita construção de moradias à CDHU

Município terá um agente comunitário de habitação para atender mutuários da CDHU.

Comentar
Compartilhar
25 JAN 201317h18

Em reunião com o gerente regional da Companhia de Desenvolvimento Social Urbano (CDHU), Luiz Carlos Rachid, o prefeito Gilson Fantin solicitou a construção de 1.200 moradias populares no município. O encontro foi realizado na manhã desta quarta-feira, 23/01, no gabinete do prefeito. Acompanhado por técnicos da Companhia, Rachid já aproveitou para conhecer algumas áreas apontadas para a implantação do conjunto habitacional.

A CDHU ainda vai avaliar a viabilidade técnica e econômica do projeto, assim como o número de casas – que dependerá do tamanho da área escolhida. Luiz Carlos Rachid explicou que há duas alternativas: a construção das casas pela CDHU, com a doação do terreno feita pela Prefeitura; ou a implantação do conjunto habitacional pelo programa Casa Paulista, pelo qual o governo do Estado subsidia as casas e a iniciativa privada constrói em loteamento próprio. A Prefeitura e a CDHU irão estudar qual projeto será mais viável para Registro.

Durante a reunião, o prefeito também solicitou recapeamento asfáltico nos conjuntos habitacionais do Jardim Xangrilá e do Nosso Teto. “As demandas serão devidamente encaminhadas para os órgãos técnicos avaliarem. O atendimento depende de análise técnica, mas o secretário estadual Sílvio Torres (da Habitação) já pediu empenho em atender as reivindicações de Registro e acreditamos que em breve teremos uma resposta”, explicou Rachid.

Outro assunto pautado foi o programa Cidade Legal, que promove regularização fundiária nos municípios. Gilson Fantin já autorizou o início dos encaminhamentos para assinar o convênio de cooperação técnica e implantar o programa em Registro. Por meio do Cidade Legal, a Secretaria de Estado da Habitação oferece orientação e apoio técnico às prefeituras para a regularização de parcelamentos do solo e de núcleos habitacionais.

O prefeito Gilson Fantin (esq.) solicitou a construção de 1.200 moradias populares (Foto: Divulgação)

A Prefeitura também cedeu um funcionário para atuar como agente comunitário de habitação. Após passar por treinamento, o agente irá atender mutuários que antes precisavam se deslocar a Santos ou fazer ligações telefônicas para tratar dos assuntos da CDHU.

Minha Casa, Minha Vida

Sobre as 1.100 moradias do Programa Minha Casa Minha Vida anunciadas pela gestão anterior, o prefeito Gilson Fantin esclarece que não há previsão para o início da construção dos conjuntos habitacionais.  Os loteamentos indicados para a construção das casas ainda estão em fase de implantação.