Prefeita Antonieta expõe necessidade de investimentos nos Municípios para combate à dengue

Segundo a Sucen, Guarujá precisaria ter mais de 90 agentes para atuar no controle da dengue; prefeita colocou que o Município não pode arcar com sozinho com despesas

Comentar
Compartilhar
27 MAR 201412h53

Durante novo encontro do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), na última terça-feira (25), na sede da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), a prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito, expôs a necessidade de os municípios receberem investimentos do Estado, por meio de programas ou parcerias, para atuar no controle de casos de dengue.

Antonieta fez o pedido após explanação do superintendente de Controle de Endemias (Sucen), Dalton Pereira da Fonseca sobre avaliação de controle de vetores da Dengue na Baixada Santista. Na ocasião, ele frisou a quantidade necessária de agentes nos municípios. Segundo o superintendente, Guarujá precisa chegar a 92 agentes.

Com isso, a chefe do Executivo guarujaense destacou a dificuldade de custeio das prefeituras. “É preciso que as cidades tenham um repasse via saúde, para que a gente possa ampliar as equipes. Hoje Guarujá não tem orçamento para isso. Além disso, em ação integrada nossa Cidade tem utilizado os agentes comunitários de saúde, no intuito de cobrir o que é necessário. Entendo que devemos ter programas e parcerias para esse custeio”.

(Foto: Pedro Rezende/PMG)

Ainda na oportunidade, Antonieta solicitou também a liberação, com maior freqüência na Região, do carro de fumaça, para que os trabalhos de prevenção tenham a cobertura adequada.

“Queremos trabalhar junto com os municípios, não para erradicar, mas para controle”, salientou o superintendente da Sucen dizendo que a população está agora, mais suscetível ao tipo 4, ou seja, há risco para uma grave epidemia.

O presidente do Condesb e prefeito de Itanhaém, Marco Aurélio Gomes, considerou a questão essencial para colocar em debate com as prefeituras. “Será preciso um esforço conjunto para podermos garantir que a dengue continue com os índices baixos de incidência e com controle garantido pelas secretarias de saúde dos municípios”.

Dados Guarujá – Sobre Guarujá, a avaliação da Sucen indicou que o Índice de Breteau em Guarujá, de janeiro de 2014 é de 6,2. Em relação, a cobertura do serviço de casa a casa são: 32,5 (janeiro a abril 2013) e 37,1 (junho a outubro 2013), respectivamente.

O número de bloqueio e controle de criadouros (BCC) do Município mostrado na reunião foi de 5.088. Quanto ao serviço de bloqueio e nebulização (BN), o total chegou a 5.298, de acordo com balanço de 1º de janeiro a fevereiro de 2014.

Saúde - A reunião do Condesb teve ainda a participação do novo diretor do Departamento Regional de Saúde (DRS IV), Cézar Kabbach. Em sua apresentação falou de repasses às Santas Casas e Central de Vagas.

“Agradeço aos prefeitos que visitei, em especial à Antonieta e Orlandini, que nos têm dado subsídios para o diagnóstico da saúde. Temos feito muitas gestões com os secretários municipais”.

Sobre a modernização da Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), Kabbach comentou a importância dela na Baixada, o que foi um pleito dos prefeitos, sendo inaugurada em 15 de julho de 2013. “É preciso fortalecer o Cross, com o objetivo de garantir a vida do paciente”, disse Kabbach.

Santas Casas – O diretor da DRS tratou ainda da rede hospitalar na Região. “Guarujá, por exemplo, tem como hospital estruturante o Hospital Santo Amaro (HSA). Para este, o governador apoiou a ideia em repassar o investimento direto ao hospital. “Devemos garantir a internação onde o paciente estiver, na alta complexidade”, justificou.

Ele acrescenta que a taxa de permanência na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) está hoje entre 7 e 10 dias, mas o objetivo é que se o paciente melhorou deve voltar para o hospital de origem dando assim rotatividade ao sistema. Diante disso, Cezar fala do suporte das unidades de pronto atendimento (UPAS). “As UPAS tem que estar preparadas, para dar a assistência adequada para os que aguardam vaga”.

Arsesp – A prefeita declinou da titularidade no Conselho Estadual das Cidades, e ficará com a suplência. Ela pediu a indicação para integrar a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp).

Encontro - A próxima reunião do Condesb está agendada para o dia 24 de abril.