Preço do televisor pode cair depois da Copa

Fecomercio estima que competitividade e novos lançamentos estimulam a queda de preços de modelos “obsoletos”

Comentar
Compartilhar
18 JAN 201310h55

Há uma tendência ao aumento do interesse pela aquisição de televisores novos em época de Copa do Mundo. E o comércio, este ano, deverá “marcar em cima” daquele cliente que quer acompanhar todas as emoções da Copa em uma tela quase de cinema com imagem digital de alta fidelidade. Porém, terminada a competição do maior evento futebolístico mundial, os preços dos televisores nas versões Plasma, LCD e LED, poderão cair.

Pesquisa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio), realizada na Capital aponta que 31% dos paulistanos adquiriram ou pretendem adquirir algum produto por causa da Copa. E os produtos mais procurados são a camiseta da seleção brasileira (70%), artigos típicos da Copa (13%) e TVs de alta definição — LCD, LED e Plasma — (11%).

Ainda de acordo com a pesquisa, 28% dos entrevistados afirmaram que se sentiriam estimulados a adquirir produtos em função de possíveis vitórias do Brasil na Copa do Mundo, contra 70% que não pretendem comprar nada.

O economista da Fecomercio, Guilherme Dietze, afirma que os preços de televisores tendem a baixar por causa da competitividade entre as marcas no mercado varejista, que lançam modelos cada vez mais sofisticados com freqüência.

De acordo com Dietze, o comércio estima a venda de 60% dos eletroeletrônicos no primeiro semestre e 40%, no segundo, mas em ano de Copa do Mundo, essa expectativa se inverte.

No entanto, o economista, analisa que o volume de vendas de eletroeletrônicos este ano esteja mais relacionado ao bom momento da economia brasileira, às baixas taxas de juros para aquisição desses produtos, e ao aumento de famílias que subiram da classe D para a classe C — a chamada classe média.

Mas, Dietze salienta ainda que a temporada da Copa pode influenciar na geração de empregos no comércio por causa da procura por televisores. O especialista em Finanças, Marcelo Rocha, acredita que embora haja procura por televisores durante a Copa, os preços não devem subir. Entretanto, estima que os preços das TVs de Plasma, LCD e LED podem cair depois da Copa do Mundo, o que deverá variar de acordo com o volume do estoque remanescente de cada estabelecimento.

Mas, apesar da fascinação pelo show futebolístico que vai parar o país entre junho e julho, Rocha orienta que o consumidor deve deixar a tentação de lado e pesar o seu bolso. “Existe uma tendência a incitar os consumidores a comprarem aparelhos de televisão em ano de Copa de Mundo, mas o consumidor só deve trocar de televisor se realmente precisar”.

Já para o consumidor que realmente vá comprar um novo televisor, Rocha orienta que o ideal é comprar à vista. Com dinheiro na mão, o cliente pode negociar um desconto de até 10% no valor do produto. Rocha cita como exemplo o preço de um televisor cuja loja facilita o pagamento em até 17 meses. Calculando pelos juros da poupança neste período que daria em torno de 10%, o cliente que comprar à vista pode pechinchar um desconto equivalente.