Preço do gás só cairá com aumento da oferta, diz Petrobras

"Não existe gás barato se não houver oferta de gás. A maneira mais rápida para se baixar o preço do gás é produzi-lo aqui", afirmou o diretor de Gás & Energia da Petrobras

Comentar
Compartilhar
22 OUT 201315h41

O diretor de Gás & Energia da Petrobras, José Alcides Santoro, afirmou que o preço do gás natural só irá cair no Brasil a partir do momento que a produção interna do insumo for ampliada. "Não existe gás barato se não houver oferta de gás. A maneira mais rápida para se baixar o preço do gás é produzi-lo aqui", afirmou o executivo, que participou nesta terça-feira, 22, do Congresso de Energia Brasileiro, organizado pela Coppe/UFRJ.

Nos últimos anos, a Petrobras tem sido duramente criticada pelos grandes consumidores de gás por conta dos altos preços praticados pela companhia no mercado brasileiro. Santoro ponderou que 50% de todo o gás consumido no Brasil são importados, vindos da Bolívia e de cargas de gás natural liquefeito (GNL). "Esse gás internacional tem um preço, que é um preço de commodity. Só vamos conseguir reduzir esse preço do gás se houver oferta abundante aqui no Brasil", argumentou.

Nesse contexto, o executivo disse que a Petrobras vê a 12ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) como uma grande oportunidade, tendo em vista que essa será a primeira disputa focada exclusivamente no desenvolvimento das reservas de gás convencional e não convencional em campos em terra (onshore). "A Petrobras vai participar dessa rodada", assegurou. A licitação está marcada pelo governo para ocorrer no fim de novembro deste ano.

Santoro revelou, inclusive, que a Petrobras já concluiu os estudos do Programa Onshore de Gás Natural (Pron-Gás), cujas análises serão usadas para subsidiar os lances e a seleção das áreas de maior interesse da companhia na 12ª Rodada da ANP. O executivo, no entanto, não entrou em detalhes sobre a conclusão do trabalho. "Não podemos revelar por ser estratégico para o leilão", afirmou. Esse programa identificou os custos do gás convencional e não convencional nas bacias terrestres brasileiras.

Nos últimos anos, a Petrobras tem sido duramente criticada pelos grandes consumidores de gás por conta dos altos preços praticados pela companhia no mercado brasileirs (Foto: Reprodução Internet/Site Petrobras)

Além de reforçar a participação da Petrobras, o executivo convocou as indústrias, as distribuidoras de gás e as geradoras de energia elétrica a também participarem da 12ª Rodada da ANP. "Nós não podemos deixar de aproveitar o gás que existe no Brasil, inclusive para geração termoelétrica."