‘Preço do combustível aumenta de 3 em 3 dias’, diz dono de posto

O litro do etanol está sendo vendido, na maioria dos postos entre R$ 2,347 e R$ 2,349 e pode chegar a R$ 2,60

Comentar
Compartilhar
25 MAR 201118h37

“O preço do álcool e da gasolina aumenta de três em três dias”, afirmou o proprietário de um posto de bandeira BR de Santos, Cícero Pascoal Silva. Segundo ele, as perspectivas não são boas. Em outros oito postos visitados pela reportagem, os preços do etanol e da gasolina comum também subiram.

De acordo com Pascoal, o Sindicato dos Postos de Combustíveis de Santos e Região (Resan) orientou os proprietários de postos sobre a possibilidade dos preços subirem ainda mais. “A meta é o álcool chegar a R$ 2,60 e a gasolina, R$ 3,30”, afirmou Pascoal.

No posto de Pascoal hoje o litro do etanol custa R$ 2,347 e o da gasolina comum R$ 2,722. Nos postos de bandeira BR e Ipiranga, o litro do álcool combustível custa R$ 2,349 e o litro da gasolina comum varia entre R$ 2,748 e R$ 2,749. O preço da gasolina aumenta proporcionalmente ao do etanol, pois sua fórmula contém 25% de álcool.

Nos postos de bandeira Shell, o litro do álcool varia de R$ 2,048 a R$ 2,199. Já o litro da gasolina é praticado de R$ 2,568 a R$ 2,579. Há duas semanas, o litro do etanol era vendido nos postos visitados pelo DL de R$ 2,088 a R$ 2,119, e o litro da gasolina de R$ 2,568 a R$ 2,628. Na ocasião, o proprietário do posto Portal de Santos (BR) e vice-presidente do Resan, Ricardo Rodriguez Lopez, afirmou que dois fatores contribuem para o aumento do preço do etanol. Além do período de entressafra da cana-de-açúcar que começou em novembro e termina no final deste mês, o aumento da produção de açúcar para exportação culminou na redução da produção do álcool combustível. O preço da commodity dobrou no mercado internacional, então os usineiros optaram pela produção de açúcar em detrimento do combustível, de acordo com Lopez.

Moagem de cana-de-açúcar antecipada

Entretanto, 30 usinas da região Centro-Sul do País, em um esforço conjunto e voluntário, já iniciaram operações de moagem de cana-de-açúcar, antecipando o início dos trabalhos na safra 2011/2012. As informações são da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

O objetivo da antecipação é acrescentar etanol aos estoques disponíveis para a entressafra, aumentando a margem de segurança para que não haja carência do produto para o consumidor até que a nova safra possa ser deflagrada em todas as usinas. Trata-se de uma precaução adicional, já que as projeções da UNICA continuam indicando que não haverá falta de etanol na atual entressafra.

“Sabíamos que diversas usinas, presenciando os acontecimentos desta entressafra, já haviam decidido antecipar o início da moagem. Nem todas têm essa condição, pois nem sempre há cana disponível para moer com antecedência. Mas percebemos que está havendo um esforço importante para mobilizar recursos e acrescentar produto ao mercado durante este período” explicou o diretor técnico da UNICA, Antonio de Pádua Rodrigues.

Juntas, as 30 usinas que já estão moendo representam 12% de toda a moagem de cana da região Centro-Sul do país, ou cerca de 65 milhões de toneladas anuais. A moagem total estimada para a safra 2010/2011 é de 557 milhões de toneladas. A primeira projeção da UNICA para a safra 2011/2012 será anunciada no dia 31 de março.

A tendência, segundo Rodrigues, é que nos próximos dias mais usinas do Centro-Sul também iniciem a moagem com antecedência. O DL tentou falar com os representantes do Resan para comentar sobre a alta desenfreada do etanol, mas o presidente José Camargo Hernandes e o vice-presidente Ricardo Rodriguez Lopez encontram-se em uma convenção em Salvador (BA).