Praia Grande distribui mais de 20 mil kits de alimentação escolar a partir de terça

Entregues com objetivo de auxiliar as famílias, os kits são montados para atender à necessidade dos alunos

Comentar
Compartilhar
22 FEV 2021Por Da Reportagem14h04
Ao longo do ano passado, a Secretaria de Educação fez a doação de 237.918 kits de alimentação escolarFoto: Divulgação/PMPG

A partir desta terça-feira (23), a Secretaria de Educação (Seduc) inicia a distribuição dos kits de alimentação escolar. Nesta edição, a Seduc atenderá 20.452 alunos cujas famílias se encontram em situação de vulnerabilidade social por conta da pandemia e fizeram o cadastramento no começo do mês de fevereiro. Pais e responsáveis que realizaram a solicitação podem ir até a unidade onde a criança está matriculada e retirar o benefício.

Ao longo do ano passado, a Secretaria de Educação fez a doação de 237.918 kits de alimentação escolar que comporiam a merenda caso a rotina de aulas presenciais estivesse ocorrendo. Nesta edição, além de produtos não perecíveis e carne, os contemplados receberão ainda itens de hortifrúti previamente embalados.

Desde o início da entrega, em março do ano passado, a pasta municipal fez adaptações pontuais para melhor atender aos alunos e se adequar à realidade atual. A principal delas diz respeito a periodicidade da distribuição dos kits de alimentação. Nas três primeiras etapas, as entregas ocorreram com um espaço de 15 dias entre uma e outra. Depois dos ajustes necessários, a distribuição passou a acontecer de forma mensal.

Entregues com objetivo de auxiliar as famílias, os kits são montados para atender à necessidade dos alunos. Por isso, ocorre a variação dos produtos doados a cada nova etapa de distribuição. Fazem parte dos itens fornecidos alimentos perecíveis, assim como aqueles com data de validade estipulada para os próximos meses e demais itens.

Com a distribuição, a pasta municipal tem papel importante na garantia da alimentação dos alunos em vulnerabilidade social. Devido às questões familiares, antes mesmo do período pandêmico, algumas crianças aproveitavam a refeição oferecida nas escolas municipais para suprir a necessidade nutricional recomendada.