Praia Grande conta com Centro de Reanimação de Afogados

O objetivo do serviço é agilizar o atendimento inicial.

Comentar
Compartilhar
09 JAN 201305h31

Desde o dia 02 de janeiro, Praia Grande conta com um Centro de Reanimação de Afogados (CRA), cujo objetivo é agilizar o primeiro atendimento feito às vítimas de afogamento. A Cidade é a única da região a contar com o serviço.

De acordo com o comandante do Posto de Bombeiros Marítimo de Praia Grande, tenente Durval Vagner Santos de Lima, o projeto foi implantado pela Secretaria de Saúde do Estado tendo em vista que Praia Grande é a cidade da região com maior número de ocorrências de afogamento. “Isso acontece tanto pelo fluxo maior de turistas que a Cidade recebe como também pelas características específicas das praias”.

O trabalho consiste na manutenção de uma equipe composta por um médico e dois enfermeiros em uma estrutura montada ao lado do posto de bombeiros, na praia da Mirim. “Eles contam com equipamentos como maca, cilindro de oxigênio e desfibrilador, agilizando o primeiro atendimento e diminuindo a demanda nos pronto-socorros locais”.

Além disso, a equipe conta com uma viatura que pode ser utilizada para o deslocamento até a ocorrência. “Embora não seja possível fazer o transporte das vítimas, torna o primeiro atendimento mais ágil, pois eles já estão instalados na praia, podendo salvar muitas vidas”. De acordo com o tenente, após examinadas, havendo necessidade, as vítimas são encaminhadas ao Hospital Irmã Dulce ou aos pronto-socorros do Município.

Estrutura

Praia Grande conta atualmente com uma das melhores estruturas de atendimento de urgência e emergência da Região. A Cidade dispõe de dois prontos socorros nos bairros Boqueirão (ao lado da Santa Casa) e Quietude (Avenida Ministro Marcos Freire) e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Samambaia (Avenida Estados Unidos). Outro destaque é o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) 192 que vem contabilizando milhares de socorros médicos.

“O Município oferece qualidade no atendimento, com profissionais ainda mais qualificados. Isso resulta no resgate de muitas vidas. Os socorristas passam por vários treinamentos, incluindo socorro a afogados e a vítimas de incêndios”, comentou o chefe do SAMU 192 – Regional Litoral Sul, Gerson Claudino.