Pontos de entrega de latas de tinta na Baixada Santista somam mais de 330 kg coletados

Guarujá, São Vicente, Itanhaém e Santos contam com nove pontos de entrega voluntária; plano prevê instalação em Cubatão, Praia Grande, Peruíbe, Bertioga e Mongaguá até novembro de 2021

Comentar
Compartilhar
22 JUN 2020Por Da Reportagem22h04
Além de tornar a embalagem mais segura, preservando o produto e evitando vazamentos, o aço é um material ambientalmente sustentávelFoto: Divulgação

Há um ano a Baixada Santista ganhava os primeiros pontos de entrega voluntária (PEVs) da Prolata para coleta de latas de tinta pós-consumo. Localizados nos municípios do Guarujá, São Vicente, Itanhaém e Santos, os nove pontos somam mais de 330 kg de latas de tinta coletadas no período.

Os PEVs fazem parte da estratégia da cadeia de produção e comercialização de tintas para cumprir todas as etapas da logística reversa, garantindo que as embalagens vazias possam ser coletadas e recicladas da forma correta, sem serem descartadas no meio ambiente, e gerando valor para toda a cadeia de reciclagem, especialmente para os catadores.

“O plano de ação prevê a instalação de pontos de entrega voluntária nos municípios de Cubatão, Praia Grande, Peruíbe, Bertioga e Mongaguá até novembro de 2021”, destaca Thais Fagury, presidente da Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço) e coordenadora da Prolata.

A instalação dos postos da Prolata na Baixada Santista faz parte do plano de ação definido no Termo de Cooperação Ambiental celebrado, em novembro de 2018, entre o Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (GAEMA), do Ministério Público de São Paulo; a Abeaço, criadora e coordenadora da Prolata; a Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas (ABRAFATI); e a Associação dos Revendedores de Tintas do Estado de São Paulo (Artesp).

Além de tornar a embalagem mais segura, preservando o produto e evitando vazamentos, o aço é um material ambientalmente sustentável. Confira cinco dicas da Prolata para reciclar as latas de tinta pós-consumo:

Em primeiro lugar, evite as sobras de tinta, economizando o seu dinheiro e poupando o meio ambiente. Antes de ir à loja de material de construção, meça as paredes que precisa pintar. Passe as medidas para o consultor técnico de tintas, um profissional disponível nas melhores lojas do mercado. Ele é o mais capacitado a te ajudar a calcular quantos galões você realmente vai precisar.

Se você é daqueles que guarda restos de tintas dentro do armário para um dia utilizá-los, saiba que, se a lata for fechada direitinho, a tinta ainda vai durar algum tempo. Depois que a lata é aberta pela primeira vez, tintas à base de água duram cerca de seis meses (dependendo das condições climáticas e de acondicionamento). Mas isso também depende do prazo de validade da tinta, impresso na lata.

Nunca jogue restos de tinta no vaso sanitário, na pia ou no bueiro. Que tal doar o que sobrou para um parente, vizinho, amigo ou utilizar para ajudar na pintura da escola do seu bairro?

Conseguiu esvaziar a lata? Ótimo. Não é necessário lavar. O filme de tinta que sobra na superfície interna costuma secar em cerca de 24 horas e não atrapalha a reciclagem.

Procure um Ponto de Entrega Voluntária (PEV) da Prolata, ou cooperativa parceira ou entreposto Prolata e entregue a embalagem. A tampa de aço também é reciclável.

Endereços dos postos Prolata na Baixada Santista:

Baratão das Tintas Guarujá - Rua Iracema, 474, loteamento João Batista Julião

Baratão das Tintas São Vicente - Av. Antônio Emmerick, 1428, Vila São Jorge

Baratão das Tintas Itanhaém - Av. Pedro de Toleto, 26, Centro

Baratão das Tintas Santos - Av. Doutor Pedro Lessa, 1535, Ponta da Praia

Sodimac Dicico São Vicente - Av. Prefeito José Monteiro, 1045, Jardim Independência

Sodimac Dicico Itanhaém - Rua João Pedro Orsi, 117/120, Cidade Anchieta

Sodimac Dicico Guarujá Balsa - Av. Adhemar de Barros, 1531, Jardim Helena Maria

Dicico Guarujá Enseada - Av. Dom Pedro I, 2520, Jardim Belmar

Dicico Santos - Rua Alexandre Martins, 80 – 301, Aparecida