Banner gripe

Policlínicas intensificam agendamento de mamografias

Além da mamografia, também será ampliada a quantidade de coletas de Papanicolau

Comentar
Compartilhar
04 OUT 2018Por Da Reportagem09h00
Não será necessário passar pela consulta médicaFoto: Reprodução

Depois de três anos, Sandra Gonçalves, de 56 anos, resolveu colocar o exame de mamografia em dia após ouvir sobre a Campanha Outubro Rosa no rádio. Ela procurou a Policlínica da Aparecida nesta quarta (3) para garantir a solicitação do seu exame.

"Costumo fazer o autoexame da mama, mas eu diria para as mulheres procurarem o serviço de saúde para agendar a mamografia, porque se detectar o câncer no início, há mais chances de sobreviver", destaca.

Já Eliane Maria de Oliveira e Silva, de 66 anos, estava na policlínica e a equipe sugeriu que ela solicitasse o exame, já que faz mais de 1 ano da última checagem.

"Tenho nódulo e faço controle. A mamografia é importante também para que a mulher também tire dúvida a respeito de um caroço que possa sentir", diz.

Na unidade, a ficha com os dados cadastrais das pacientes foi preenchida por alunos do 2º ano de Medicina da Universidade Lusíada, supervisionados pela professora Ana Bellemo e pela equipe de enfermagem da unidade. Com os dados em mãos, a equipe da unidade agenda o exame e retorna para a paciente.

Durante este mês, a Secretaria de Saúde intensifica os pedidos de mamografia nas 31 policlínicas: não será necessário passar pela consulta médica, a paciente com idade entre 50 e 69 anos terá a solicitação feita pela equipe de enfermagem, que também será responsável pelo agendamento do exame.

Além da mamografia, também será ampliada a quantidade de coletas de Papanicolau, exame que auxilia na identificação do câncer de colo de útero (o 3º mais incidente nelas, segundo o Inca – Instituto Nacional do Câncer).

A faixa etária em que o oferecimento da mamografia será intensificado é o de maior incidência da doença em Santos, além de ser definida como prioritária pelo Ministério da Saúde para programas organizados de rastreamento populacional para o exame de mamografia.

As mulheres com mais de 40 anos que tenham interesse em solicitar a mamografia sem a necessidade de consulta médica passarão por triagem, sendo priorizadas as que nunca realizaram o exame, que estejam com suspeita da doença e as que têm histórico familiar.

O tipo de câncer que mais mata mulheres em Santos é o de mama. Dos 453 óbitos ocorridos em mulheres em 2017 vítimas de câncer, 88 foram de mama, o que representa 20,8%".

Encontro de mulheres integra programação do Outubro Rosa

Integrando as atividades do Outubro Rosa, aconteceu nesta quarta (3) no Clube dos Ingleses o Chá da Primavera do MAF – Movimento de Arregimentação Feminina. O evento contou com desfile e posse de novas associadas, com parte da renda obtida com a venda dos ingressos destinada a obras assistenciais.

A professora aposentada Vera de Souza e Silva Machado, 89 anos, faz parte do MAF há 23 anos e ingressou motivada pelo desejo de participar das ações beneficentes. "Atuamos ajudando entidades, asilos, escolas infantis. Quando a gente faz o bem para o outro, ajudamos a nós mesmos".

O MAF

O movimento foi idealizado na Capital na década de 1950 e uniu mulheres em várias cidades do País. Em Santos, existe há 56 anos e atualmente conta com mais de 160 associadas.

"O movimento foi idealizado no passado porque as mulheres viam a necessidade de ter sua voz ouvida. Aqui são debatidos temas como saúde, bem-estar, educação. Nossa intenção é multiplicar boas práticas nas famílias e na sociedade", explica a presidente do MAF, Sandra Solange Fernandes Gozzi.

Colunas

Contraponto