Policial militar é acusado de ajudar quadrilha que explodia caixas

O PM é suspeito de passar informações privilegiadas para a quadrilha, possibilitando que os bandidos agissem sem o risco de uma ação policial

Comentar
Compartilhar
12 MAR 201321h59

Um policial militar foi preso, acusado de participar da quadrilha que explodiu caixas eletrônicos de duas agências bancárias, no último dia 6, em Iperó (SP). O PM é suspeito de passar informações privilegiadas para a quadrilha, possibilitando que os bandidos agissem sem o risco de uma ação policial.

Dois homens suspeitos de integrar o grupo também foram presos. Foram recuperados R$ 13 mil, parte do dinheiro levado dos caixas As prisões foram feitas pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, a pedido da própria Polícia Militar.

De acordo com o tenente Fábio Haro, comandante do pelotão de Iperó, as investigações revelaram que opolicial passava aos criminosos os horários mais propícios para o roubo dos caixas. Ele fornecia também a posição das viaturas, facilitando a fuga dos bandidos. O suspeito, que não teve o nome divulgado, teve a prisão preventiva decretada e foi levado ao presídio militar Romão Gomes, na capital paulista. Ele responderá também a processo administrativo e pode ser expulso da corporação. Os outros suspeitos foram levados para a Cadeia Pública de São Roque. A quadrilha é suspeita de ter feito ataques a outros caixas da região.