Plano de Doria prejudica a Baixada e o Vale, diz Tenente Coimbra

Deputado estadual questiona os critérios adotados pelo governador para anunciar o plano de reabertura do comércio no Estado de São Paulo

Comentar
Compartilhar
28 MAI 2020Por Da Reportagem15h46
Coimbra explica que a região tem mais casos porque aplica mais testesFoto: DIVULGAÇÃO

O deputado estadual Tenente Coimbra questiona os critérios adotados pelo governador João Doria para anunciar o plano de reabertura do comércio em todo o Estado de São Paulo. “O maior disparate é a classificação vermelha atribuída à Baixada Santista e Vale do Ribeira, enquanto a Capital, que é o epicentro da crise no Brasil, recebeu classificação laranja”, afirma o parlamentar. 

Coimbra explica que a região tem mais casos porque aplica mais testes, o que é imprescindível para o combate ao avanço da pandemia. “Somente a cidade de Santos aplicou mais testes que todo o estado de Minas Gerais. Aqui foram feitos mais de 23,1 mil exames, enquanto no estado vizinho o número ficou em 20 mil”, completa. 

O parlamentar, que defende desde o início da pandemia a adoção de critérios técnicos regionalizados para flexibilizar a quarentena, revela ainda a incoerência do governo de São Paulo em não investir na construção de leitos de UTI no Vale do Ribeira, uma das regiões mais carentes do estado. “O Vale tem apenas 30 leitos de UTI porque o governo não investiu na região depois dessa pandemia começar”, aponta.

Coimbra defende que o plano de flexibilização confira autonomia aos municípios para implementar a reabertura paulatina dos comércios e serviços de acordo com indicadores técnicos.