Piscinões e obras complementares vão combater enchentes no Santo Antônio, em Guarujá

Edital da obra, que prevê R$ 77,5 milhões de investimentos, prevê ainda a macrodrenagem do Rio Santo Amaro e recuperação de canais

Comentar
Compartilhar
12 AGO 2020Por Da Reportagem19h04
A região alaga até mesmo fora do período chuvoso devido à sua posição geográficaFoto: Divulgação/PMG

Às margens do Rio Santo Amaro, a Prefeitura de Guarujá vai construir três reservatórios para conter as enchentes no bairro Santo Antônio e adjacências. Historicamente, a região concentra maior volume de águas pluviais, em virtude de o bairro estar localizado abaixo do nível do mar, sendo prejudicado também pela alta da maré. O investimento será de R$ 77,5 milhões, fruto de um convênio assinado em 2018 com o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

No detalhamento do projeto executivo, consta também o desassoreamento do Rio Santo Amaro. Ao longo dos anos, o acúmulo de resíduos no leito do rio foi aumentando, o que prejudica a passagem natural das águas. Esse serviço vai auxiliar o escoamento, evitando a sobrecarga do sistema de drenagem.

Na edição do Diário Oficial do último dia 5, foi publicado o edital de concorrência pública para contratação da empresa responsável pelas obras. De acordo com a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplan), as licenças ambientais prévias para execução já foram expedidas. Passada a fase licitatória, as intervenções serão iniciadas.

A região alaga até mesmo fora do período chuvoso devido à sua posição geográfica, que está abaixo do nível do mar. Quando há qualquer alteração na maré, diversas ruas do Santo Antônio e Jardim Primavera acabam inundando. "Essas obras são justamente para amenizar essa situação que afeta milhares de pessoas", ressalta a secretária de Planejamento e Gestão.

Além disso, as melhorias vão atingir os canais das ruas Paulo Orlandi, Magnólias e da Avenida Francisco Arnaldo Gimenez. Com a ação do tempo, a estrutura desses canais foi deteriorada, mas dentro deste projeto será recuperada. O investimento é de R$ 77,5 milhões, sendo que R$ 4 milhões são provenientes de contrapartida municipal e o restante é advindo do MDR, antigo Ministérios das Cidades, por meio do Programa Saneamento Para Todos.

Macrodrenagem do Rio do Meio também está em fase licitatória

 

Outra área da Cidade também será contemplada com obras que visam mitigar enchentes. Nos bairros Santa Rosa e Vila Ligya, a Prefeitura de Guarujá prevê o investimento de R$ 77 milhões, fruto de um convênio firmado com a Caixa Econômica Federal, em obras de drenagem e macrodrenagem do Rio Meio. Assim como o bairro Santo Antônio, a área está localizada abaixo do nível do mar e sofre com a alta da maré, inundando ruas e avenidas.

Nesta quarta-feira (12), durante sessão pública, poderá ser definida a empresa que vai assumir as obras de dragagem do Rio do Meio. Esse serviço vai viabilizar maior vazão de águas, que ficam represadas nas vias públicas e prejudica o acesso dos moradores à região.

Mesmo com o trabalho regular de limpeza de bocas de lobos e canais, o escoamento é deficiente, provocando alagamentos recorrentes. Outro fator que colabora com as inundações é o constante descarte irregular de lixo em locais inadequados que acabam obstruindo galerias pluviais.

Somando-se a esse problema, há também a questão da ocupação irregular das áreas, impedindo o escoamento das águas para o rio. Para renovar o sistema de drenagem, que estava em condições deficitárias, a Prefeitura está substituindo as antigas tubulações e implantando novas com diâmetro de 80 centímetros.

Para isso, estão sendo investidos R$ 64 milhões, do total disposto pelo convênio, em diversas ruas dessa região. Além de obras de drenagem, esse montante envolve uma série de benfeitorias relacionadas a guias, sarjetas, acessibilidade, pavimentação e sinalização horizontal e vertical.

A segunda fase, que diz respeito à macrodrenagem, deve ser iniciada após a finalização dos trâmites licitatórios. Cerca de R$ 13 milhões serão repassados especificamente para execução deste serviço.