Pipas causam cortes de energia na Baixada Santista

A CPFL Piratininga registrou, em 2018, 588 ocorrências na rede da Região decorrentes da utilização das pipas, interrompendo o fornecimento de energia

Comentar
Compartilhar
30 JUL 2019Por Da Reportagem08h20
Um caso em Betim (MG) ganhou repercussão nacional. Um jovem teve a perna amputada após ser ferido por linha chilenaFoto: Nair Bueno/DL

As linhas de pipa também podem ocasionar problemas na rede de energia elétrica.

A CPFL Piratininga registrou, em 2018, 588 ocorrências na rede da Baixada Santista decorrentes da utilização das pipas, interrompendo o fornecimento de energia para clientes. Até maio de 2019, o número de ocorrências já somou 370. Os números levam em conta as cinco cidades da região atendidas pela CPFL: Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente.

São Vicente e Praia Grande têm o maior número de ocorrências, 174 e 141, respectivamente. Os dados são referentes aos meses de janeiro à maio deste ano.

Em caso de rompimento de cabos pelo uso de cerol, a população deve acionar imediatamente a distribuidora.

 

Colunas

Contraponto